Mercado fechado

5 empresários brasileiros que prometeram não demitir durante a crise

Apesar da crise causada pela pandemia do coronavírus ter atingido quase todos os setores da economia, alguns empresários brasileiros decidiram que manter seus funcionários é a prioridade para sobreviver.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Exemplo é o movimento Não demita!, que conta com assinaturas de mais de 4 mil empresas de todos os tamanhos, incluindo algumas gigantes, prometendo não abrir mão de seus empregados durante os meses de abril e maio.

Veja também

De varejistas a bancos e fabricantes de cosméticos, veja alguns dos empresários e empresas que prometeram não demitir:

1. Roberto Funari

Alpargatas, 18 mil funcionários

A empresa reduziu o número de funcionários presenciais, está fabricando produtos para profissionais de saúde, como jalecos e calçados. e outros itens, e vai doar 100 mil pares de Havaianas e 100 mil kits de produtos essenciais para comunidades vulneráveis afetadas pela crise de covid-19.

“Temos a visão clara de que é preciso cuidar da saúde das pessoas e também do impacto socioeconômico.”

2. Luiza Helena Trajano

Magazine Luiza, 22 mil funcionários

A gigante do varejo prometeu não demitir e enviou assistência financeira a funcionários de baixa renda, incluindo um subsídio de creche para quase 5,5 mil funcionárias.

“O importante agora é ter muita calma e ver o que nós, empresários, podemos fazer para melhor. E isso é não demitir.”

3. Sergio Rial

Santander, 47 mil funcionários (no Brasil)

O banco espanhol tem no Brasil sua maior fonte de lucro e adotou em outubro de 2019 uma política de congelar as contratações. Agora, lidera o movimento Não demita! para congelar também as demissões.

“A responsabilidade é muito maior para quem pode fazer mais. A gente não vai parar, vamos continuar tentando.”

4. Bruno Garfinkel

Grupo Porto Seguro, 15 mil funcionários

Além de seus funcionários, a gigante dos seguros brasileira alimenta uma rede com cerca de 18 mil prestadores de serviço e 30 mil corretores parceiros.

“Essa é a hora das empresas colocarem em prática seus manifestos, missões e valores. Garantir o emprego é garantir a sobrevivência das pessoas.”

5. Cesar Gon

CI&T, 2,5 mil funcionários

A multinacional de soluções digitais criada em Campinas atua em cinco continentes e é uma das líderes do movimento que pede aos empresários para que não demitam seus trabalhadores.

“Essa crise vai passar e essas pessoas [os funcionários] serão o motor da retomada e do crescimento.”

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.