Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.794,28
    -1.268,26 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,57
    -0,04 (-0,06%)
     
  • OURO

    1.753,80
    -41,00 (-2,28%)
     
  • BTC-USD

    47.296,25
    -744,24 (-1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.209,85
    -23,43 (-1,90%)
     
  • S&P500

    4.473,75
    -6,95 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    34.751,32
    -63,07 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.027,48
    +10,99 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.505,50
    +1,50 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1838
    -0,0122 (-0,20%)
     

5 dicas para trabalhar em uma startup

·3 minuto de leitura

Uma startup não é um ambiente de trabalho exclusivo de programadores e empresários com dinheiro. Como já dissemos no Canaltech, esse tipo de empresa difere de uma tradicional principalmente em seu modelo de negócios, que requer a criação de um serviço escalável. Ou seja, algo que traga lucro e crescimento de usuários sem que haja aumento de despesas na mesma proporção.

Portanto, teoricamente, qualquer tipo de profissional pode trabalhar em uma startup — desde, é claro, que hajam vagas de trabalho no seu perfil. E muitas delas são considerados ambientes de trabalho estimulantes porque apostam na inovação e na disrupção para criar boas soluções para o público.

Para quem está cansado da regularidade das empresas mais tradicionais e quer uma experiência mais ousada para adicionar ao currículo, então uma startup em ascensão pode ser essa alternativa. Interessou-se em trabalhar em uma? Pois mostramos abaixo algumas dicas das plataformas Distrito e GetNinjas, além do site Vagas.com.br, para ingressar no universo das empresas emergentes.

Imagem: StartupStockPhotos/Pixabay
Imagem: StartupStockPhotos/Pixabay

Reflita se é para você

Antes de se inscrever nos processos seletivos, é importante ter certeza se este ambiente tem a ver com seu perfil profissional. Afinal de contas, apesar de toda a boa vontade e espírito inovador, startups têm lá seus riscos como empregadores. São empresas com equipes pequenas que buscam crescimento acelerado, e por isso espera-se que seus funcionários tenham aprendizado rápido, muita motivação, que sejam maleáveis e tragam um pouco da tal "mentalidade de dono", isto é, assumir a missão da companhia como sua também.

Vai encarar? Pesquise bem

Ok, então leu o parágrafo anterior e acha mesmo que está tudo bem. Então o passo seguinte é pesquisar bem sobre o mercado e os perfis de startups que possam te interessar profissionalmente. Além do nicho de mercado, vale checar a qualidade dos produtos que ela já disponibiliza, se seus clientes são o consumidor final ou outras empresas, como é o perfil de seus fundadores... depois de tudo isso, selecione as companhias que se encaixem nas suas expectativas. E claro, fique atento às novas vagas de emprego em startups que pareçam interessantes.

Faça networking

Digamos que você curtiu as empresas X, Y e Z mas elas não estão com vagas abertas no momento. Pegue o telefone e email de contato da startup e faça um primeiro contato para se apresentar. Também pode enviar ou cadastrar seu currículo ou tentar uma conversa franca com funcionários pelas redes sociais, principalmente pelo LinkedIn. Mostre-se interessado na missão da empresa, mantenha contato — se a empresa der essa abertura, claro — e espere a oportunidade certa aparecer.

Prepare-se para a seleção

Essa dica vale para qualquer seleção de emprego, mas para startups também. Elabore um bom currículo — novamente o LinkedIn é uma boa plataforma para isso — e se passar da fase de triagem, vale estudar de novo um pouco sobre os conhecimentos aplicados da vaga aberta. Nas entrevistas, é normal o próprio CEO da startup, ou o diretor da área, fazerem as entrevistas. Se chegou a sua vez de ser ouvido, tenha confiança em si mesmo, deixe claro sua motivacão, atitude positiva e foque nos seus pontos fortes. Por outro lado, também seja sincero, demonstre transparência e saiba reconhecer suas eventuais fraquezas.

Conseguiu a vaga? Não para aí

Se você foi aceito e vai trabalhar finalmente em uma startup, o processo de adaptação será tão importante quanto o de seleção. Afinal, é importante estar sintonizado com os fluxos de trabalho, os diferentes saberes e mentalidades de cada pessoa da equipe, conhecer todas as áreas da empresa e como os gestores costumam agir. Vale sugerir novas ideias e trazer suas contribuições quando estiver mais à vontade e mostre que quer crescer profissionalmente à medida que a startup crescer também.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos