Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.782,15
    -194,55 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.081,33
    -587,31 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,09
    -0,15 (-0,19%)
     
  • OURO

    1.742,50
    +2,20 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    16.237,97
    +82,47 (+0,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,99
    +0,70 (+0,18%)
     
  • S&P500

    3.963,94
    -62,18 (-1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.849,46
    -497,57 (-1,45%)
     
  • FTSE

    7.474,02
    -12,65 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    17.599,28
    +301,34 (+1,74%)
     
  • NIKKEI

    28.032,66
    -130,17 (-0,46%)
     
  • NASDAQ

    11.620,25
    +4,00 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5556
    +0,0064 (+0,12%)
     

Black Friday | 5 dicas para evitar surpresas ruins nas compras

É comum que os consumidores reservem o mês de novembro para ir às compras, a fim de economizar com as promoções da Black Friday, marcada para o dia 25. Certamente, esse é um dos períodos mais movimentados para o comércio e, por consequência, um dos mais visados pelos cibercriminosos.

Para evitar surpresas desagradáveis em suas compras, é preciso adotar práticas voltadas para a segurança. O Canaltech, então, selecionou cinco dicas para te ajudar nesse processo. Confira!

5 dicas para evitar surpresas ruins na Black Friday

Antes de prosseguir, lembre-se: uma forma simples e eficaz de driblar os cibercriminosos é usar um bom antivírus. Se possível, prefira aqueles com cobertura para navegadores. Dessa forma, se o programa identificar alguma atividade suspeita, você será notificado.

1. Verifique se o site é confiável

Durante a Black Friday, é preciso desconfiar de absolutamente tudo. Ao acessar um site, você deve observar alguns detalhes para garantir a sua confiabilidade. Antes de qualquer coisa, confira se a página tem um certificado SSL, representado por um cadeado à esquerda da URL. A presença desse ícone assegura que os seus dados pessoais e bancários não serão interceptados no momento da compra.

Em uma tentativa de se sentir mais seguro, você pode optar por comprar apenas em grandes sites. Essa prática, embora seja altamente recomendada, não te afasta dos perigos. Uma técnica muito comum na Black Friday é a clonagem de páginas. Em alguns casos, o trabalho dos cibercriminosos é bastante preguiçoso e acaba denunciando a fraude.

Existem, porém, clonagens bem feitas. Para identificá-las, busque por erros sutis no endereço da página, como palavras escritas incorretamente e caracteres extras ou mal posicionados. Se a URL estiver intacta, veja se não há erros no restante da página. Se ainda restar alguma dúvida, digite o endereço oficial manualmente e carregue o site.

2. Confira a reputação da loja

Ainda que a página seja real e até mesmo reconhecida no mercado, ela pode não ser confiável. Para evitar dores de cabeças com as suas compras, conheça a reputação da loja antes de colocar o cartão de crédito na mesa.

Plataformas como Consumidor.gov.br e Reclame Aqui reúnem informações como o nível de qualidade do serviço, as queixas mais frequentes e, mais importante, a postura da loja diante de reclamações e problemas que precisam ser solucionados.

Cheque a reputação da loja antes de inserir dados do cartão de crédito (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)
Cheque a reputação da loja antes de inserir dados do cartão de crédito (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)

3. Evite promoções via e-mail e redes sociais

Passe longe de links promocionais enviados pelo e-mail, por SMS, mensageiros ou mesmo pelas redes sociais. Essa é uma técnica antiga, mas muito eficaz na coleta de dados pessoais. Conhecido por "Phishing", esse tipo de ataque consiste no disparo de links encurtados que levam a sites falsos.

Com isso em mente, se uma promoção chamar a sua atenção, não clique no anúncio: acesse a loja oficial de forma manual e verifique se a oferta realmente está disponível.

4. Desconfie de preços muito baixos

Ataques de cibercriminosos são tão perigosos — e bem sucedidos — por um motivo muito simples: as ofertas falsas são irresistíveis. Com preços apelativos, elas acabam atraindo presas com maestria.

Sob a promessa de economizar mais, o consumidor coloca em risco não apenas o dinheiro gasto na compra, mas também seus dados pessoais e bancários. Portanto, tenha sangue frio e não se deixe levar pelo senso de urgência.

Para saber se uma oferta é “boa demais para ser verdade”, verifique o preço médio do produto. Não, você não precisará tirar a sua calculadora da gaveta: sites como Zoom e Buscapé já fazem essa conta para você.

Use comparadores para acompanhar a flutuação de preços dos produtos (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)
Use comparadores para acompanhar a flutuação de preços dos produtos (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)

5. Prefira pagar com cartão de crédito

Se possível, dê preferência ao pagamento via cartão de crédito. Pois métodos como PIX, boleto bancário, transferências e depósitos dificultam a recuperação do dinheiro, em caso de fraudes. Essas formas de pagamento também são mais suscetíveis à intercepção de cibercriminosos que podem, por exemplo, criar boletos falsos com facilidade.

Além disso, o PIX, que se consolidou como o principal meio de pagamento no Brasil, também ganhou a atenção de criminosos para a aplicação de golpes, apontando um aumento significativo de casos de fraude em 2022. Cartões de crédito, porém, contam com o suporte das operadoras e, normalmente, permitem o cancelamento da compra em caso de problemas.

Por fim, para aproveitar a Black Friday de forma ainda mais segura, você pode contar com a equipe especializada do Canaltech Ofertas. Fique atento, também, aos grupos do WhatsApp e Telegram para receber, em primeira mão, dicas com os melhores descontos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: