Mercado fechado

5 dicas de como ganhar dinheiro trabalhando online e viajando pelo mundo

Colaborador externo

Por Tiago Santos*

Parece desafiador, mas o modelo de trabalho com horário flexível e que não requer a presença física em um ambiente específico possibilita que profissionais de diversas áreas possam conciliar lazer e trabalho estando em qualquer lugar.

Além das habilidades, laptop e acesso à internet, confira algumas dicas para conseguir um trabalho online e viver como um nômade digital.

1- Tradução e Moderação de conteúdo

Existem diversos sites que são terceirizados do Google e contratam mão de obra remota para trabalhar online, cerca de 10 a 20 horas semanais, como freelancer. É o caso da Lionbridge e da Appen. Essas plataformas anunciam jobs de tradução, interpretação, moderação de conteúdo, testes, entre outros. Para se candidatar, basta ter um curso superior, enviar o seu currículo e uma carta de apresentação em inglês, além de comprovar seu diploma de inglês.

Para se destacar na seleção, as plataformas consideram principalmente os candidatos com perfil analítico, organização e fluência em inglês.

2- Aula de idioma online

Que tal ser pago para ajudar pessoas a aprenderem novas línguas? A qualquer hora, em qualquer lugar do mundo, você pode ter dezenas de alunos e você define o seu preço e calendário. Perfeito, não? Existem plataformas como o Italki que permitem essa flexibilidade para você ter uma renda vinda de clientes de vários países sem sair do lugar. Você só precisa de um computador, fone de ouvido e boa conexão com a internet.

3- Work Exchange

A premissa básica é: você troca o trabalho (habilidades) durante algumas horas por semana (em média 20 horas), por hospedagem gratuita. No entanto, raramente a hospedagem é o único benefício oferecido. O Work Exchange também pode abrir portas para você fazer um dinheiro a mais durante a suas viagens. Isso porque alguns hotéis e hostels precisam de muita mão de obra, além da voluntária e estão dispostos a parte por esse trabalho extra.

Algumas habilidades como fotografia, filmagem e edição, gestão de redes sociais e desenvolvimento de website, por exemplo são mais valorizadas para os jobs temporários.

4- Promova suas skills

Tour gastronômico, aula de dança, walking tour, sessão fotográfica são algumas atividades que você pode divulgar em sites de experiências e realizar em qualquer lugar do mundo, com poucas horas semanais ou diárias.

O Airbnb, por exemplo, oferece dentro da plataforma o serviço de experiências para divulgar para outros viajantes. Além da divulgação, o site oferece feedbacks, painel de análises, seguro e cuida de todos os pagamentos. É uma oportunidade de você mostrar o que sabe e ama fazer, além de monetizar com isso!

Outra opção é a Fiverr, focada em freelancers e no trabalho 100% online. Ela abrange serviços de marketing digital, redação, design, animação, ilustração, programação, entre outros. Se você sabe fazer gestão de redes sociais ou criação de identidade visual por exemplo, é uma ótima oportunidade para atrair novos clientes. Basta criar um anúncio na categoria desejada, descrever o serviço, colocar o seu preço e prazo de entrega e pronto.

5- Influência digital

Se você é daqueles que amam fotografia e audiovisual, cria bons conteúdos e engaja uma comunidade, pode conquistar uma "renda passiva" trabalhando para marcas através do intermédio de plataformas de influenciadores.

É o caso da Viral Nation e da Samy Road por exemplo. Ambas fazem ações com marcas e clientes internacionais. Essas empresas são responsáveis por mapear e selecionar perfis nas redes sociais que tenham fit com a campanha, monitorando desde a criação do conteúdo, estratégia até a finalização com o pagamento.

Não tenho uma conta para receber do exterior. E agora?

Boa parte das plataformas que oferecem trabalho online pagam pelos "freelas" em dólar, mas isso não é um problema, existem várias maneiras de receber os pagamentos. Normalmente, as formas mais tradicionais embutem custos adicionais nas taxas de câmbio, o famoso spread de câmbio. Você não tem certeza de quando vai pagar e isso impacta diretamente no valor final que você irá receber em reais. Vale checar plataformas como a fintech brasileira Husky, que promete acabar com esse tipo de burocracia, bem como métodos tradicionais estilo Transferwise, Western Union, SWIFT, Bitwage (que usa Bitcoins na transação) e até mesmo o PayPal — que pode ajudar nesses casos.

Com essa dicas, você já pode encarar o desafio do nomadismo digital e planejar sua próxima viagem trabalhando pelo mundo!

*Tiago Santos é confundador e CEO da Husky

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: