Mercado abrirá em 5 h 6 min

5 curiosidades sobre carros conversíveis que você provavelmente não sabia

·3 min de leitura

Os carros conversíveis já foram mais populares no Brasil e no mundo, mas ainda carregam uma legião de fãs. Sempre muito elegantes, esses bólidos atraem por seu design, conforto e sensação de liberdade, já que o efeito prático de viajar com um modelo desses é bem parecido com o de uma moto, só que com muito mais segurança. Entretanto, ter um automóvel com essas características demanda atenção a algumas peculiaridades.

Um automóvel pode ser chamado de conversível (ou cabriolet) se puder ter o seu teto removido e depois recolocado, seja ele de lona ou de fibra, automático ou modular. Por causa disso, claro, seu uso acaba sendo condicionado às condições do tempo e, por vezes, estruturais de uma cidade. Isso sem falar com os cuidados que devemos ter com os equipamentos e até os bancos, que merecem uma atenção ainda maior por parte dos proprietários.

Com isso em mente, o Canaltech separou cinco curiosidades e peculiaridades sobre os automóveis conversíveis que você provavelmente não sabia. Veja quais são:

5. Defletores de vento são obrigatórios

Uma das coisas que mais passam batidas com relação aos carros conversíveis são os defletores de vento. Além de trazerem mais conforto aos passageiros, eles são importantes para a segurança e o funcionamento do veículo, já que impedem que haja turbulência dentro da cabine do carro com a entrada do ar em alta velocidade.

(Imagem: Reprodução/Amazon)
(Imagem: Reprodução/Amazon)

Os automóveis conversíveis mais modernos já possuem esse mecanismo de série, que pode ser ativado eletronicamente ou manualmente. Mas, se o seu carro não for equipado com um defletor, compre imediatamente.

4. Airbags de cortina existem

Por mais estranho que possa parecer, os carros conversíveis modernos possuem sistemas de airbags de cortina, aqueles que comumente são instalados nos tetos. Para solucionar esse "problema", as montadoras adotaram soluções diferentes entre si, mas sempre com muita competência e segurança.

(Imagem) Reprodução/Svyatkovsky/Envato
(Imagem) Reprodução/Svyatkovsky/Envato

Como o uso dos conversíveis é pensado sem o teto, a instalação das bolsas de ar pode ocorrer nos encostos de cabeça, parte superior das portas ou até mesmo na coluna B, aquela situada bem no meio do veículo. Mesmo que o formato do airbag seja diferente e não propriamente de uma "cortina", vai proteger os ocupantes do mesmo jeito.

3. Atenção com sua capota

As capotas dos carros conversíveis podem ser de lona ou rígidas, automáticas ou manuais. Portanto, se você quer ter um automóvel dessa categoria, deve prestar atenção no tipo de proteção que ele oferece antes de sair desfilando por aí, sobretudo se a previsão do tempo indicar chuva.

(Imagem: Reprodução/FabrikaPhoto/Envato)
(Imagem: Reprodução/FabrikaPhoto/Envato)

Alguns conversíveis mais modernos possuem sistemas de fechamento ou abertura da capota muito rápidos, com duração de, no máximo, 20 segundos. Outros exigem que você até pare o carro para acionar o dispositivo — isso sem falar naqueles em que nós mesmos temos que colocar o teto.

2. Saídas de ar na nuca

Uma das coisas mais curiosas em alguns carros conversíveis são as saídas de ar. Modelos mais extravagantes possuem esses orifícios localizados na parte de trás dos encostos de cabeça, mais precisamente na nuca. Com isso, você pode viajar com sua capota aberta em altas temperaturas, mas ter um refresco do arzinho gelado na cabeça.

(Imagem: Reprodução/ gargantiopa/ Envato)
(Imagem: Reprodução/ gargantiopa/ Envato)

Nesse caso, o defletor de ar também ajuda, pois evita que correntes de vento externas atrapalhem o funcionamento desse sistema.

1. O primeiro carro do mundo era conversível

Existem muitos relatos sobre qual seria o primeiro carro feito no mundo, mas, em pesquisas realizadas pelo Canaltech e que foram detalhadas em nossa matéria recente, o automóvel que pode mesmo ter dado o start nessa indústria foi o desenvolvido e inventado pelo austríaco Siegfried Marcus, em 1870.

(Imagem: Reprodução/Wikipedia)
(Imagem: Reprodução/Wikipedia)

Naquela época, e depois por quase uma década, praticamente todos os automóveis eram sem teto, com alguns modelos podendo receber a cobertura em caso de extrema necessidade. Mesmo que para ser, de fato, um conversível, a capota precisa ser removida e recolocada, não deixa de ser curioso que os primeiros carros já nos davam essa sensação de liberdade por pura e simplesmente serem feitos sem a parte de cima.

Com informações: IG, Cultura Mix

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos