Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.591,41
    -172,59 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.435,45
    +140,65 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,00
    +0,24 (+0,21%)
     
  • OURO

    1.819,80
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    20.242,60
    -506,48 (-2,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,78
    -11,28 (-2,51%)
     
  • S&P500

    3.821,55
    -78,56 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    30.946,99
    -491,31 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.323,41
    +65,09 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,47 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    26.738,72
    -310,75 (-1,15%)
     
  • NASDAQ

    11.666,75
    -7,50 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5436
    -0,0005 (-0,01%)
     

5 animes que merecem ganhar live action como One Piece

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A adaptação em live action de One Piece pela Netflix tem deixado os fãs muito empolgados com a possibilidade de ver um dos maiores animes de todos os tempos — e em todos os sentidos — ganhar o mundo em uma versão em carne e osso.

Mais do que isso, esse é o tipo de tratamento que faz a gente sonhar com outras adaptações. Afinal, não faltam mangás e animes tão bons quanto One Piece que também mereciam virar live action. Dos clássicos às produções recentes, são diversos mundos que pedem por essa nova roupagem.

Assim, pegando carona no navio do Bando do Chapéu de Palha, o Canaltech listou 5 animes que também merecem ganhar uma versão em live action.

5. Ranking of Kings

Começamos nossa lista com um anime bastante recente e até bem pouco conhecido do grande público, mas que é tão bom e bonitinho que caberia perfeitamente em uma série da Netflix, seja pela estética semelhante ao de um conto de fadas ou pelo tom aventuresco e até brutal que ele adota às vezes.

A história se passa em um mundo em que os reis são classificados de acordo com a sua força física e política — o tal ranking do título —, mas a trama é inteiramente centrada no pequeno Príncipe Bojji, filho do líder mais poderoso dessa lista, mas que é totalmente fraco e inocente. Incapaz de falar e de manejar uma espada, sua única companhia é uma pequena sombra que é capaz de entender suas tentativas de comunicação.

E o que torna Ranking of Kings tão incrível é o quanto ele consegue pegar esse conceito todo fofinho do herói infantil que precisa provar seu valor em um mundo que valoriza a força e misturá-lo a elementos realmente duros e brutais. A começar pelo modo com que todos tratam o pequeno protagonista até o golpe que ele sofre de seu próprio reino para não herdar a coroa.

A história do fofinho Príncipe Bojji combina tanto com o tom mais leve de um conto de fadas quanto com uma aventura clássica de anime (Imagem: Divulgação/Wit Studio)
A história do fofinho Príncipe Bojji combina tanto com o tom mais leve de um conto de fadas quanto com uma aventura clássica de anime (Imagem: Divulgação/Wit Studio)

É a partir disso que o anime se concentra na jornada de Bojji para conquistar suas próprias habilidades, voltar dos mortos e retomar sua coroa. Tudo isso enquanto a gente passa a descobrir que ninguém é verdadeiramente bom e nem totalmente mau.

É o tipo de história que funciona muito bem dentro da proposta da própria Netflix e que lembra muito o que a gente já viu em Sweet Tooth, por exemplo: o herói fofinho e ingênuo tendo que se adaptar a um mundo duro. A diferença é que o universo de Ranking of Kings traz um elemento fantástico com gigantes, demônios e outras criaturas que traria essa cara de fábula bem interessante.

4. Naruto

Talvez o último grande fenômeno global dos animes, Naruto fez por merecer o barulho que causou em todo o mundo. A história do garoto ninja que abriga um demônio milenar dentro de si que destruiu a vila no passado e que, agora, precisa encontrar seu lugar no mundo é popular não só por carregar uma carga dramática bem intensa, mas também por garantir excelentes sequências de ação e, o que é mais importante, ter um mundo riquíssimo para ser explorado.

Se a gente está surtando com os barcos de One Piece, imagine ver toda a Vila Oculta da Folha sendo recriada em um live action, com os rostos dos grandes líderes gravados nas montanhas enquanto acompanhamos a invasão de Orochimaru ou mesmo os ataques dos rebeldes da Akatsuki.

Esse é o grande segredo de Naruto no mangá e no anime e que daria muito certo em um live action. Trata-se de uma obra bastante longa — são 720 episódios, contando as duas fases da histórias — e com arcos muito marcantes, o que faz dela uma adaptação com muito potencial de ser tão longeva quanto popular. Imagine uma trama em que acompanhamos os heróis crescendo, como em Harry Potter e Stranger Things, mas inteiramente voltada para a ação com uma boa dose de bom humor.

A história do ninja de laranja começa bem infantil, mas se aprofunda bem ao longo das sagas (Imagem: Reprodução/Shonen Jump)
A história do ninja de laranja começa bem infantil, mas se aprofunda bem ao longo das sagas (Imagem: Reprodução/Shonen Jump)

Aliás, as sequências de ação sempre foram o forte de Naruto. A rivalidade do herói com Sasuke, as motivações para que ele persiga o amigo e o show de jutsus e habilidades é algo que funcionaria muito bem em um live action e um bom trabalho de efeitos especiais.

Além disso, pesa muito a favor do anime o fato de ele ter personagens que são muito bons e que vão além do núcleo central. Embora Naruto, Sasuke e Sakura sejam os queridinhos dos fãs, há um elenco tão vasto e variado que cada nova temporada seria um surto diferente por parte dos fãs.

3. Cavaleiros do Zodíaco

Não tem quem não cresceu nos anos 90 com a TV Manchete que nunca sonhou com um filme de Cavaleiros do Zodíaco. A ideia de um live action dos Defensores de Athena é algo tão antiga que esse era um boato que circulava muito antes da própria internet e sempre tinha alguém na escola que jurava ter um primo que morava no Japão que já tinha visto as armaduras de verdade em uma revista.

Seja em um filme ou mesmo em uma série, ver Seiya, Shiryu e companhia em carne e osso é mais do que o sonho de uma geração: é algo que tem tudo para dar certo. Todo o lado mitológico da saga renderia momentos visualmente incríveis, assim como as próprias armaduras e os golpes.

Da mesma forma que os barcos de One Piece causaram comoção entre os fãs, imagine ver o Santuário ganhando forma ou mesmo o Coliseu da Fundação Kido, onde se passa a Guerra Galáctica. O mais importante é que são construções relativamente simples de serem feitas — afinal, são baseadas em localidades reais —, mas que carregam um peso simbólico enorme.

A nova versão da Netflix traz ideias boas, mas falha em um roteiro miserável (Imagem: Divulgação/Netflix)
A nova versão da Netflix traz ideias boas, mas falha em um roteiro miserável (Imagem: Divulgação/Netflix)

Em termos de história, não é preciso inventar moda e tampouco revolucionar a fórmula, como as modernizações mais recentes fizeram. Cavaleiros do Zodíaco é um sucesso pelo básico: um grupo de heróis caindo na porrada com guerreiros mais poderosos em armaduras douradas para provar que estão falando a verdade sobre o Golpe de Estado que houve no Santuário — tudo isso enquanto correm contra o tempo para salvar Athena.

Desenvolver esse roteiro em uma série para que cada Cavaleiro de Bronze tenha tempo de ser bem explorado é o segredo. Em seguida, crie efeitos visuais bem-feitos para cada golpe, aposte na trilha sonora clássica e está pronta a receita do sucesso.

2. Evangelion

É mais do que urgente um live action de Evangelion. Trata-se de um dos animes mais influentes de todos os tempos justamente por misturar tão bem cenas de ação incríveis, robôs gigantes, uma camada bem dosada de simbolismo e elementos religiosos e uma dose bem profunda de reflexões dignas de uma sessão de terapia.

A coisa é tão complexa que o próprio autor volta e meia reescreve a história para ajustar todas as suas ideias — mangá, anime e filmes têm finais completamente diferentes —, mas que poderia ter em seu live action a tão esperada versão definitiva da jornada de Shinji Hikari.

A trama de Evangelion se passa em um futuro próximo em que a Terra passa a ser atacada por seres conhecidos como Anjos, criaturas gigantescas e vindas sabe-se lá de onde. E, para combater essa ameaça, uma unidade especial da Terra criou os EVA, robôs gigantes que só podem ser controlados por crianças especiais.

Sempre há espaço para robôs gigantes na TV (Imagem: Divulgação/Prime Video)
Sempre há espaço para robôs gigantes na TV (Imagem: Divulgação/Prime Video)

E é claro que há muitos segredos obscuros em meio à origem desses robôs que envolvem desde a criação do mundo, elementos bíblicos e esotéricos e uma viagem à psiquê do herói Shinji que, à primeira vista, pode não parecer muito palatável para uma série de TV, mas que é o grande charme da franquia ao longo de quase três décadas.

Isso sem falar que estamos tratando de robôs gigantes e essa é uma paixão universal. Filmes como Círculo de Fogo já se inspiraram muito em Evangelion e mostraram que a ideia de colocar uma máquina de dezenas de metros de altura para sair na porrada com um monstro funciona e sem soar como um episódio de Power Ranger.

1. Berserk

Imagine um Game of Thrones em que o mundo é ainda mais cruel e em que o destino não pensa duas vezes antes de transformar sonhos e desejos em armadilhas para levar um homem ao inferno. Pois é sobre isso que se trata Berserk, a obra-prima do saudoso Kentaro Miura e que foi uma das grandes responsáveis pela popularização do dark fantasy nos animes e na cultura pop como um todo.

A história é basicamente sobre um guerreiro que, desde muito cedo, aprendeu o quanto o mundo pode ser cruel e que volta e meia se depara com as bestialidades e maldições que se escondem nas sombras. Desde muito pequeno, tudo o que Guts conhece é a violência e a brutalidade — por isso mesmo, a alcunha de Espadachim Negro lhe cai tão bem.

Isso tudo faz com que Berserk seja uma série visualmente pronta para o live action. The Witcher e a própria Game of Thrones já mostraram que essa mistura de cavaleiros em armaduras sujas com magias das trevas funciona. Então a adaptação precisaria apenas de um herói com uma espada gigante nas costas e a invocação de grandes demônios para amaldiçoar a Terra.

E a saga de Guts é tão desgraçada e cheia de contratempos que torcer por ele até parece um erro. Contudo, a ação do mangá é tão boa que você logo esquece que esse é um personagem fadado a se ferrar e vibra com o modo com que ele se torna um monstro em combate.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos