Mercado abrirá em 1 h 26 min
  • BOVESPA

    116.464,06
    -916,43 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,95 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,88
    +0,27 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.844,60
    -6,30 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    31.402,98
    -279,79 (-0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    630,73
    -9,19 (-1,44%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.631,86
    -22,15 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.546,50
    +61,00 (+0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5096
    -0,0012 (-0,02%)
     

Mais de 40% dos portadores de coronavírus em cidade italiana eram assintomáticos

·1 minuto de leitura
Um soldado italiano patrulha perto da cidade de Vo Vecchio, norte da Itália

Mais de 40% dos habitantes de uma cidade italiana, que testaram positivo à COVID-19, não apresentaram nenhum sintoma da doença, segundo um estudo publicado nesta terça-feira (30) que destaca a rápida propagação do coronavírus.

Esse estudo mostra a importância dos testes de diagnóstico em massa e do isolamento dos portadores do vírus para conter os focos de contágio, de acordo com os autores da pesquisa, publicada na revista científica Nature.

No final de fevereiro, foi registrada a primeira morte pelo vírus na Itália na cidade de Vo' (3.200 habitantes), no norte da península. Imediatamente foi imposto um confinamento de duas semanas, durante o qual os cientistas puderam fazer testes em mais de 85% da população.

O estudo mostra também que as crianças menores de 10 anos não deram positivo no teste, mesmo as que viviam com adultos infectados.