Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    43.002,83
    -1.690,93 (-3,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

36 mil assinaturas pedem liberdade de líder da Gas Consultoria

·3 minuto de leitura
Líder da Gas Consultoria, Glaidson dos Santos
Líder da Gas Consultoria, Glaidson dos Santos

Mais de 35 mil pessoas assinaram uma petição que pede que o líder da Gas Consultoria, Glaidson Acácio dos Santos, seja colocado em liberdade.

A Operação Kriptos deflagrada no último dia 25 de agosto acabou encerrando a empresa Gas Consultoria, que ainda vê líderes tentando demonstrar uma sobrevida do negócio após a prisão do principal líder.

Leia também:

Na ocasião, várias malas de dinheiro em posse dos suspeitos foram apreendidas, além de R$ 150 milhões em Bitcoin.

“A Polícia Federal deflagrou hoje (25/8), em conjunto com o GAECO/MPF e a Receita Federal, a Operação Kryptos, com objetivo de desarticular organização criminosa responsável por fraudes bilionárias envolvendo criptomoedas.”

O que diz a petição que está com 35 mil assinaturas pedindo a liberdade do líder da Gas Consultoria?

A confusão da Gas Consultoria Bitcoin foi parar no site “Petição Pública”, onde os clientes da empresa alvo da Operação Kriptos estão indignados com as autoridades que encerraram a possível pirâmide financeira.

O criador da petição justificou que a Gas Consultoria foi “importante para Cabo Frio no combate à pandemia, salvando empresas da falência e colocando comida na mesa do trabalhador”. Os clientes alegam que o fim da empresa contraria até mesmo a Constituição de 1988.

“A interrupção do prosseguimento da empresa, consequente redução do orçamento, que em alguns casos é exclusivo, da renda familiar, contraria a Constituição de 1988, sendo mais específico, o princípio da dignidade da pessoa humana, o qual se refere à garantia das necessidades vitais de cada indivíduo, ou seja, um valor intrínseco como um todo. É um dos fundamentos do Estado Democrático de Direito, nos termos do artigo 1º, III da Constituição Federal, sendo fundamento basilar da República.”

Com 35.541 pessoas assinando a petição pública, são exigidos que as atividades da empresa sigam em funcionamento, assim como Glaidson dos Santos seja colocado em liberdade pelas autoridades.

Essa é apenas mais uma campanha dos clientes, que promoveram uma grande carreata em Cabo Frio na última quinta-feira (26).

Advogado comenta que esse é o primeiro ciclo após o fim de uma pirâmide: “negação”

O advogado Artêmio Picanço gravou um vídeo em seu Instagram onde comentou sobre o abaixo-assinado organizado pelos clientes. Em sua visão, como todo caso similar de combate a pirâmides financeiras, o primeiro ciclo após o fim de uma empresa do tipo é de negação.

Isso acontece porque as pessoas se acostumam a receber uma rentabilidade prometida, sendo uma situação conveniente para muitas pessoas.

“Primeiro ciclo grande, primeira fase é a de negação e aquele depósito de esperança no negócio. Eu até entendo isso, porque são valores que estão ali da sua vida, pegam emprestado. E era comodo também receber uma rentabilidade, as pessoas se acostumam, fazem seu planejamento com isso, então me solidarizo.”

No entanto, Artêmio destacou que ninguém é preso preventivamente sem indícios de materialidade ou inexistência de provas. Ele destacou que os milhões apreendidos dos suspeitos não são feitos quando uma empresa está funcionando de forma correta.

Ele falou que os clientes costumam depois passar para o segundo ciclo, com o fim da esperança de reaver seu patrimônio. O próximo passo então é de judicializações em massa, com as pessoas correndo para tentarem ser as primeiras a receber algum valor.

Mesmo assim, o advogado especialista no combate a pirâmides financeiras no Brasil destacou que nunca havia visto um abaixo-assinado com tantas assinaturas pedindo a liberdade do líder da Gas Consultoria.

“É curioso o abaixo-assinado, é a primeira vez que eu vejo isso em todos os casos que eu já tratei a respeito. Mas para mim não passa de mais um ciclo que as pessoas estão negando pela razão que eu expliquei, principalmente pelo fato que tem dinheiro envolvido e dinheiro muda a cabeça de muitas pessoas. A estatística não mente, temos que analisar isso de forma racional e não passional”.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos