Mercado fechará em 1 h 36 min

Ao menos 36 tripulantes de cruzeiro estam positivo para a COVID-19 na Noruega

·2 minuto de leitura
O navio da MS Roald Amundsen, da empresa de cruzeiros norueguesa Hurtigrutem, na baía de Tromsø (Noruega) em julho de 2019
O navio da MS Roald Amundsen, da empresa de cruzeiros norueguesa Hurtigrutem, na baía de Tromsø (Noruega) em julho de 2019

Ao menos 36 tripulantes confinados em um navio da empresa norueguesa Hurtigruten, especializada em cruzeiros, testaram positivo para o novo coronavírus, anunciaram neste sábado (1) as autoridades de Tromsø, localidade norueguesa onde a embarcação atracou.

Dos 158 membros presentes a bordo, "36 deram positivo para a COVID-19", explicou Pål Jakobsen, secretário de imprensa da administração municipal de Tromsø.

A maioria dos tripulantes que testou positivo é procedente das Filipinas, enquanto outros dois são um norueguês e um alemão, disse Jakobsen.

Na sexta-feira, quatro pessoas do MS Roald Amundsen já haviam testado positivo para o vírus e estão hospitalizadas. São estrangeiros, segundo o hospital.

Ao chegar ao porto de Tromsø (norte), vindo do arquipélago norueguês de Svalbard, a tripulação do MS Roald Amundsen ficou em quarentena a bordo do navio, depois que quatro membros do pessoal "foram isolados há vários dias devido a outros sintomas, sem relação com a COVID-19", explicou a empresa na sexta-feira em um comunicado.

"Não havia razão para suspeitar de COVID-19 quando o navio atracou em Tromsø, devido aos sintomas que apresentavam", explicou.

No navio havia cerca de 180 passageiros, que zarparam em 25 de julho. Nenhum apresentou sintomas relacionados com a COVID-19 durante a viagem, segundo a companhia. Todos foram desembarcados na sexta-feira e 60 estão em quarentena em Tromsø, informou a companhia no sábado.

O instituto norueguês de saúde pública não descarta o aparecimento de novos casos, "mas só se saberá quando tiverem feito os testes", disse uma encarregada da instituição, que recomendou a todos os passageiros que se submetam à quarentena.

"Trata-se de uma epidemia maior e tememos nova propagação", alertou a Line Vold, do Instituto de Saúde Pública.

O país nórdico, onde a pandemia está controlada desde abril, registra pouco mais de 9.200 casos do novo coronavírus.

Uma pessoa morreu com o vírus na sexta-feira à noite, elevando o número de mortos a 256. Trata-se do primeiro óbito provocado pela COVID-19 em mais de duas semanas na Noruega.