Mercado fechará em 4 hs
  • BOVESPA

    111.332,17
    -2.250,84 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.266,17
    -332,36 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,84
    -0,61 (-0,81%)
     
  • OURO

    1.736,00
    -16,00 (-0,91%)
     
  • BTC-USD

    41.513,96
    -1.813,70 (-4,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.025,40
    -31,75 (-3,00%)
     
  • S&P500

    4.360,12
    -82,99 (-1,87%)
     
  • DOW JONES

    34.373,23
    -496,14 (-1,42%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.768,00
    -426,75 (-2,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3370
    +0,0302 (+0,48%)
     

30 caminhões deixam Esplanada dos Ministérios; 71 permanecem no local e autoridades negociam saída completa

·3 minuto de leitura

BRASÍLIA. DF (FOLHAPRESS) - Trinta dos 101 caminhões que bloqueavam a Esplanada dos Ministérios deixaram o local até o começo da manhã desta quinta-feira (9).

A desmobilização ocorre após um bate cabeça entre os manifestantes bolsonaristas e o próprio presidente Jair Bolsonaro a respeito do que fazer em relação à paralisação com viés golpista, que visa a atacar o STF (Supremo Tribunal Federal).

Na manhã desta quinta, Bolsonaro disse a apoiadores que conversará com caminhoneiros alinhados ao governo ainda hoje. O chefe do Executivo já havia gravado um áudio na quarta (8) para que aliados repassassem aos caminhoneiros, pedindo que liberassem as vias.

Além da Esplanada, integrantes da categoria bloqueiam trechos de rodovias desde o 7 de Setembro, quando ocorreram os protestos de raiz golpista em apoio a Bolsonaro. Os bloqueios já atingem 15 estados.

"Vou conversar com os caminhoneiros pra gente tomar decisão, tá ok?", disse o presidente em vídeo divulgado por assessor nas redes sociais. Uma conversa com caminhoneiros está prevista para ocorrer até o fim da manhã, com a participação do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Os responsáveis pelos caminhões que estão na Esplanada derrubaram bloqueios policiais na segunda (6) e invadiram a via. Eles desrespeitaram o acordo feito com autoridades de segurança pública no DF para que deixassem o espaço até o fim da tarde de quarta (8).

Os caminhões foram usados na manifestação golpista para pressionar pela invasão da via que dá acesso ao STF e ao Congresso. O bloqueio na altura do Itamaraty, que impede o acesso aos dois prédios, foi o único que não foi derrubado pelos manifestantes bolsonaristas.

Após a resistência inicial, quase um terço dos caminhões já foi retirado da Esplanada, como constatou a Folha na manhã desta quinta. Agora, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) do DF negocia a retirada do restante dos veículos ainda nesta quinta.

A Esplanada dos Ministérios segue bloqueada para o trânsito, o que vem causando transtorno na região central de Brasília. O desrespeito ao acordo feito e as ameaças de invasão fizeram o bloqueio se estender além do previsto e levaram à interrupção do funcionamento do Congresso e do TCU (Tribunal de Contas da União), por exemplo.

A reportagem constatou que os dez caminhões que levam a inscrição da empresa Pro Tork, colocados bem em frente ao Congresso, antes da grade de isolamento, foram retirados do local.

A Pro Tork é uma empresa que fabrica capacetes e equipamentos para motocicletas. Está sediada no Paraná. Os dez caminhões dispostos em frente ao Congresso auxiliavam na pressão por invasão à via que dá acesso ao STF.

Já os quatro caminhões identificados com logotipo do Grupo Brasil Novo, uma empresa de logística sediada em Florianópolis, foram retirados da via e colocados no canteiro central da Esplanada.

O mesmo foi feito com os caminhões identificados com os nomes da Arroz e Feijão Grão Dourado, Irmãos Chiari Agropecuária e Dez Alimentos, empresas do interior de Goiás.

A reportagem tenta desde quarta (8) uma resposta das empresas sobre a presença desses caminhões na Esplanada dos Ministérios.

Na noite de quarta, a PM e a Secretaria de Segurança Pública do DF tentavam negociar a saída de caminhoneiros que seguem acampados na Esplanada, obstruindo a via.

O secretário de segurança do DF, Júlio Danilo, confirma que alguns caminhoneiros já deixaram o local. A equipe da pasta esteve por lá até as 6h acompanhando a saída deles e a retirada das estruturas.

No cercadinho em frente ao Palácio da Alvorada, onde Bolsonaro para todos os dias para conversas e produção de vídeos que circulam por redes bolsonaristas, caminhoneiros manifestaram apoio ao presidente. Um deles disse ter vindo de Sinop (MT) e estar acampado em Brasília desde a semana passada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos