Mercado abrirá em 6 h 12 min

3 perguntas que você deve fazer a si mesmo antes de aceitar um novo emprego

Os conselhos de carreira do ex-chefe de Recursos Humanos da multinacional Goldman Sachs, Dane Holmes, se resumem a procurar oportunidades de aprendizado e crescimento. Como outros executivos de sucesso, ele desaconselha o pensamento da carreira linear e diz que novas jornadas podem ser valiosas.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

Quase sempre mudança é um desafio e é preciso ter coragem para passar por ela. Com Holmes não foi diferente. Após trabalhar 18 anos na mesma empresa, ele decidiu que era hora de mudar um pouco as coisas e aceitou a proposta para dirigir a startup Eskalera, uma empresa de tecnologia e RH.

Leia também

Embora tomar uma decisão não seja uma tarefa simples, ele ensina que apenas três perguntas podem ajudar a escolher o melhor caminho.

Segundo ele, tudo se resume a: isso importa? Você quer que mude muito? Você acha que precisa de nova energia e nova estratégia? Se a resposta para os três for um retumbante "sim", Holmes afirma que está na hora de assumir novos desafios.

A lista do americano para tomar grandes decisões na carreira lembra as ideias de outros executivos sobre desenvolvimento profissional. O que é unânime entre eles é que a parte mais importante de uma transição de carreira, não é o aumento do prestígio, e sim a chance de assumir um novo desafio.

1 - A chance de enfrentar um novo desafio é o que importa?

Holmes disse que sua próxima transição de carreira não é muito diferente das mudanças que ele fez na Goldman Sachs. Ao longo de sua carreira, ele disse, ele teve uma "mentalidade de crescimento". Esse termo é usado por cientistas sociais para descrever a crença de que seus talentos podem ser desenvolvidos ao longo da vida. Ou seja, não é porque você escolheu algo ainda jovem que só sabe fazer aquilo. Você pode e deve mudar quando quiser.

No início da carreira, Holmes ocupou cargos em bancos de investimento e gerenciamento de risco de crédito. A ascensão dentro da companhia continuou como chefe de relações com investidores e, depois, ao exercer a função de chefe do grupo de desenvolvimento de liderança Pine Street e gestão de capital humano.

Ele afirma que não estava exatamente preparado para essas funções, e que não havia sido formalmente preparado para elas, mas Holmes sabia que “realmente gostava de construir coisas” - empresas, equipes, culturas. Então, aceitou os desafios. “Eu estava sempre empolgado com essas oportunidades, e essa dinâmica era mais valiosa para mim do que o cargo em si”.

2 - Você está entusiasmado com a possibilidade de aprendizado?

O conselho é mostrar a capacidade de aprendizado, e o desejo de crescer rapidamente e se adaptar às habilidades para permanecer na empresa a longo prazo. Segundo ele, dada a rapidez com que a natureza do trabalho está mudando, a disposição de um funcionário para enfrentar novos desafios é tão importante para os empregadores quanto seu conhecimento e experiência.

3 – Você gosta da equipe de trabalho?

Quando foi convidado para trabalhar na Eskalera, Holmes já sabia o que eles estavam construindo e ficou empolgado com isso. Os produtos da empresa incluem o Eskalera Engage, que usa inteligência artificial para medir as práticas de diversidade e inclusão de uma organização, e como os funcionários estão se sentindo em geral. As organizações podem ver essa análise exibida em um painel e usar os dados para informar as principais decisões de negócios.

Ele ficou impressionado com a equipe que estava reunida na Eskalera. “São pessoas com quem eu posso crescer e aprender muito”, disse ele. Holmes crê que cultivar a diversidade não é apenas a coisa certa a fazer, eticamente falando. É também “um ativo imensamente mal aproveitado que melhorará tanto as sociedades quanto as empresas se você o liberar”, diz – uma observação apoiada por pesquisas.

“Você pode ter um grande título e um papel de alta reputação”, disse Holmes. “Mas se você não se sente conectado ao trabalho, energizado por ele, apaixonado por ele, se não pensa que está fazendo algo com ele, meu palpite é que é improvável que você esteja muito feliz nele”, completou.