Mercado fechado

2W Energia estrutura financiamento e emissão de debêntures para projeto eólico no RN

Letícia Fucuchima
·2 minutos de leitura

Complexo Anemus tem entrada em operação comercial prevista para o primeiro trimestre de 2022 Carla Gottgens/Bloomberg A 2W Energia, uma das maiores comercializadoras independentes do país, preparou uma nova estruturação financeira para colocar de pé o projeto eólico Anemus, no Rio Grande do Norte. Depois de desistir dos planos de abertura de capital, a companhia fechou um financiamento do tipo “mezanino” — híbrido de financiamento por dívida e por participação — junto à gestora Darby Overseas Partners, subsidiária da Franklin Templeton, no valor de US$ 30 milhões. Também mandatou o BTG Pactual para uma emissão de debêntures de infraestrutura, a fim de captar de R$ 600 milhões. “Todo o montante necessário para construir e operar o empreendimento já está negociado”, afirmou, em nota, o CEO da comercializadora, Claudio Ribeiro. O projeto eólico contará ainda com recursos próprios da 2W Energia. Com capacidade instalada de 138,6 megawatts (MW), o complexo Anemus tem entrada em operação comercial prevista para o primeiro trimestre de 2022. A 2W Energia já assinou um termo de compromisso com a fabricante WEG para o fornecimento dos equipamentos. O plano de negócios da 2W prevê a entrada do grupo no segmento de geração de energia através da construção de quatro projetos eólicos até 2024, nos estados do Rio Grande do Norte e Ceará. Os empreendimentos, que somam 1 gigawatt (GW) de capacidade instalada, devem exigir investimentos de R$ 4,4 bilhões. A energia dos parques será totalmente direcionada para a comercialização no ambiente de contratação livre (ACL). “Acabamos de exercer nossa opção de compra para nosso segundo projeto, o Aracati, e já estamos em negociação com algumas gestoras para elaborar um FIP-IE ou estruturas de capital similares a Anemus para equacionar o financiamento desse projeto”, afirma Ribeiro. Localizado no Ceará, o projeto Aracati tem 260 MW de capacidade a ser instalada e investimento estimado em R$ 1,1 bilhão.