Mercado fechado

15 séries com protagonismo negro para assistir no streaming

Beatriz Vaccari
·14 minuto de leitura

Nesta sexta-feira, 20 de novembro, é celebrado o Dia da Consciência Negra, feriado em vários estados e municípios do Brasil. A data foi atribuída nos anos 1970 como uma forma de homenagear o líder quilombola Zumbi dos Palmares, um dos fundadores do Grupo Palmares, que reunia militantes e pesquisadores da cultura negra brasileira no Sul do país.

Estamos em 2020 e a presença de atrizes e atores negros na cultura pop existe, mas está longe de ser o ideal. Em 2015, quando Viola Davis ganhou o Emmy na categoria de Melhor Atriz em Série de Drama por seu trabalho em How to Get Away With Murder, seu discurso de agradecimento pontuou que "a única coisa que separa mulheres de cor de qualquer outra é a oportunidade", analisando a indústria do entretenimento e a falta de diversidade no elenco de diversos filmes e séries.

Não há desculpa para não consumir conteúdos protagonizados por estrelas negras numa an em que as séries e os filmes estejam tão acessíveis, mas o Canaltech entende a indecisão que fica na hora de escolher um bom título para começar a assistir com tantas plataformas de streaming e resolveu ajudar selecionando as mais marcantes séries protagonizadas por personagens negros. Confira abaixo:

As melhores séries protagonizadas por personagens negros

The Get Down

The Get Down transforma em música temas sobre liberdade, sonhos e oportunidades (Imagem: Divulgação/ Netflix)
The Get Down transforma em música temas sobre liberdade, sonhos e oportunidades (Imagem: Divulgação/ Netflix)

The Get Down acompanha um grupo de adolescentes do Bronx, bairro de Nova York, no final dos anos 1970, em longos episódios de quase 90 minutos de duração cuja trama gira em torno da música, mesmo que em diferentes vertentes. O elenco conta com nomes de peso, como Justice Smith, Shameik Moore, Jaden Smith e Herizen F. Guardiola nas mãos do criador e produtor Baz Luhrmann, que dirigiu grandes sucessos do cinema como Moulin Rouge, Romeu + Julieta e O Grande Gatsby.

A série chegou à Netflix em 2016 e foi cancelada um ano depois, com apenas uma temporada e a justificativa de que o orçamento de produção era alto demais. O final não deixou muitos parênteses abertos, o que faz a maratona valer a pena. Além disso, The Get Down aborda assuntos importantes em seus 11 episódios, como machismo, racismo, intolerância religiosa, representatividade LGBT e divertidas cenas musicais.

The Get Down é uma série original da Netflix e possui uma temporada.

Insecure

Insecure acompanha os dramas vividos pela dupla de amigas Dee e Molly (Imagem: Divulgação/HBO)
Insecure acompanha os dramas vividos pela dupla de amigas Dee e Molly (Imagem: Divulgação/HBO)

Insecure apresenta Issa Dee, interpretada pela atriz e criadora Issa Rae, e retrata a realidade de uma mulher negra tentando se encontrar em Los Angeles sem deixar passar tudo o que esse processo oferece: dificuldades, amigos, família e, é claro, romance. Bem recebida pela crítica especializada justamente por mostrar, sem filtros, uma vida adulta em que a perfeição é difícil de se alcançar, a dificuldade de se estar certo o tempo todo e as complicações que envolvem a felicidade, dando jus ao nome.

Além de criar como um projeto pessoal e estrelar, Issa Rae também entra como produtora executiva de Insecure e ainda assina o roteiro de alguns episódios. A série foi reconhecida pela Academia de Artes & Ciências Televisivas com quatro indicações ao Emmy até então, sendo que duas são para Rae na categoria de Melhor Atriz de Comédia.

Insecure é uma série original da HBO, com quatro temporadas até então.

Dear White People

Dear White People retrata a história universal da busca por identidade (Imagem: Divulgação/Netflix)
Dear White People retrata a história universal da busca por identidade (Imagem: Divulgação/Netflix)

Dear White People é ambientada na Winchester University, uma universidade de elite e predominantemente branca onde as tensões raciais se escondem por trás das aparências, baseada no filme de mesmo nome lançado em 2014. A série mostra os Estados Unidos numa era pós-racial, fazendo o uso do humor, ironia, autodepreciação uma honestidade brutal para trazer as discussões sobre racismo para as telas.

Com 10 episódios cada temporada, a série mostra diversas tensões raciais que se desenrolam no ambiente acadêmico após uma festa de Halloween com a temática blackface organizada por alunos brancos. Cada episódio é centrado em um dos personagens centrais, incluindo Sam White (Logan Browning), criadora do programa de rádio Dear White People, que dá nome à série.

Dear White People tem três temporadas disponíveis na Netflix.

Black-ish

Indicado para os fãs de sitcoms, Black-ish aborda discussões sobre identidade étnica e cultural (Imagem: Divulgação / ABC)
Indicado para os fãs de sitcoms, Black-ish aborda discussões sobre identidade étnica e cultural (Imagem: Divulgação / ABC)

Black-ish é uma das séries de maior sucesso do canal estrangeiro ABC, tendo episódios novos até hoje. A história acompanha a família Johnson e a ótima vida que levam numa excelente casa em um bairro de classe, somando às bem-sucedidas carreiras do casal Dre e Rainbow e os quatro filhos. Porém, como cidadãos negros, eles passam a questionar a influência deste sucesso na identidade étnica e cultural da família.

A série é altamente indicada para os fãs de sitcoms como Friends ou Três é Demais e já recebeu indicações ao Emmy e ao Globo de Ouro na categoria de Melhor Série de Comédia. A atriz Tracee Ellis Ross recebe elogios por sua interpretação da personagem Rainbow Johnson e já até chegou a ser reconhecida com um Globo de Ouro de Melhor Atriz em Série de Comédia.

Black-ish tem seis temporadas disponíveis no Prime Video.

Empire

Empire conta com um protagonismo feminino e negro que tomou conta de seis temporadas (Imagem: Divulgação / FOX)
Empire conta com um protagonismo feminino e negro que tomou conta de seis temporadas (Imagem: Divulgação / FOX)

Empire é uma série ambientada em Nova York que acompanha uma empresa fictícia de música, principalmente de hip-hop, intitulada Empire Entertainment. A trama começa quando o fundador e atual dono Lucious Lyon (Terrence Howard) contrai uma grave doença que o obriga a eleger um de seus três filhos André (Trai Byers), Jamal (Jussie Smollett) ou Hakeem (Bryshere Y. Gray) para ocupar seu cargo e ter o poder e controle da companhia que tornou-se um império no ramo do entretenimento.

Os episódios mostram a disputa acirrada da família para conquistar o tão poderoso lugar de Lyon na Empire Records e um dos grandes destaques de Empire é a atuação de Taraji P. Henson como Cookie Lyon, que lhe rendeu duas indicações no Emmy além de uma vitória no Globo de Ouro e no Critics' Choice Awards. A série possui seis temporadas ao todo e o último episódio foi transmitido na televisão americana em abril desse ano.

Empire tem a primeira temporada disponível no NET Now.

Reunião de Família

Criada por Meg DeLoatch, Reunião de Família estreou na Netflix em julho de 2019 (Imagem: Divulgação / Netflix)
Criada por Meg DeLoatch, Reunião de Família estreou na Netflix em julho de 2019 (Imagem: Divulgação / Netflix)

Reunião de Família pode ser uma boa pedida para quem gostar de Black-ish, já que a série também está na prateleira das sitcoms da Netflix. primeira temporada chegou à plataforma de streaming em julho de 2019 e já possui duas temporadas no catálogo, mostrando uma família de seis pessoas que resolvem se mudar de Seattle para Georgia para ficarem mais perto um dos outros; a partir daí, o humor é todo construído a partir das situações "peixe fora d'água" em que os parentes devem enfrentar, agora que estão numa cidade nova.

A comédia não deixa de ser consciente, trazendo debates de cunho social e racial para as telas de maneira descontraída, como colorismo, relacionamentos interraciais e racismo estrutural. Reunião de Família também segue a tradição das sitcoms gravadas em auditório com plateia ao vivo e guarda uma boa surpresa ao final de cada episódio, com uma espécie de dedicatória a alguma personalidade negra da história.

Reunião de Família possui duas temporadas disponíveis na Netflix.

How to Get Away With Murder

Reconhecida com um Emmy em 2015, Viola Davis dá vida à advogada Annalise Keating (Imagem: Divulgação / ABC Studios)
Reconhecida com um Emmy em 2015, Viola Davis dá vida à advogada Annalise Keating (Imagem: Divulgação / ABC Studios)

Como comentado anteriormente, Viola Davis foi reconhecida com um Emmy por sua atuação em How to Get Away With Murder, interpretando a professora e advogada criminal Annalise Keating. A série acompanha a docente e sua lotada rotina dividida entre os clientes de seu escritório, as aulas numa prestigiada universidade de Direito da Filadélfia e os dramas da sua vida pessoal. As coisas ficam mais complicadas a partir do momento em que um misterioso assassinato acontece no campus da faculdade e, ao lado de seus cinco estagiários, ela percebe que ninguém menos que seu marido está envolvido.

Com episódios fáceis de serem devorados um atrás do outro, How to Get Away With Murder traz representatividade negra e bissexual na personagem de Annalise Keating, que além de ter sido reconhecida com o Emmy de 2015, deu a Viola Davis o Prêmio do Sindicato dos Atores no mesmo ano e no seguinte, em 2016.

How to Get Away With Murder possui cinco temporadas disponíveis na Netflix.

Scandal

Kerry Washington vive Olivia Pope, ex-Diretora de Comunicações da Casa Branca (Imagem: Divulgação / ABC Studios)
Kerry Washington vive Olivia Pope, ex-Diretora de Comunicações da Casa Branca (Imagem: Divulgação / ABC Studios)

Scandal é mais uma das criações de Shonda Rhimes e acompanha Olivia Pope (Kerry Washington), ex-Diretora de Comunicações da Casa Branca que decide deixar o cargo para abrir a sua própria empresa de gerenciamento de crise com o objetivo de salvar a reputação de importantes nomes da política norte-americana. Renomada no que faz, Pope já chegou a prestar serviços para o presidente dos Estados Unidos mais de uma vez, já que foi chefe de campanha de sua eleição antes mesmo de trabalhar na Casa Branca.

A importância de Olivia Pope na cultura pop não limita-se a apenas ser uma protagonista feminina e negra numa série, mas também a presença de sua figura e o que ela representa numa série que aborda a política dos Estados Unidos, já que o poder norte-americano possui uma dominância majoritariamente masculina e branca.

Scandal tem as sete temporadas disponíveis no Globoplay.

Power

Power teve o último episódio exibido em fevereiro de 2020 na TV americana (Imagem: Divulgação / Starz Network)
Power teve o último episódio exibido em fevereiro de 2020 na TV americana (Imagem: Divulgação / Starz Network)

Power chegou à televisão em 2014 e transmitiu seu último episódio em fevereiro desse ano, totalizando seis temporadas. Altamente indicada para os fãs de séries policiais, a trama acompanha James St. Patrick (Omari Hardwick), um traficante que atende sob o apelido de "Ghost" que, ao abrir e gerenciar uma boate noturna em Nova York, se vê com dificuldades para equilibrar as duas vidas ao utilizar o clube como uma fachada para o narcotráfico.

St. Patrick vê sua vida virar do avesso ao decidir abandonar a vida de "Ghost", mas a decisão acaba desencadeando diversas situações e colocando sua família em risco. Além disso, ele possui um caso extraconjugal com uma ex- namorada dos tempos de escola que pode fragilizar seu casamento.

Além de Hardwick, o rapper 50 Cent interpreta o amigo de Sr. Patrick que no decorrer da série acaba virando um de seus rivais, Kanan.

Power tem as seis temporadas disponíveis no NET Now ou no Starzplay, por meio do Prime Video Channels.

This Is Us

Sterling K. Brown interpreta Randall Pearson em This Is Us (Imagem: Divulgação / NBC)
Sterling K. Brown interpreta Randall Pearson em This Is Us (Imagem: Divulgação / NBC)

This Is Us chegou em 2016 no canal estrangeiro NBC oferecendo um enredo diferente para a maioria das séries de drama familiar. A história gira em torno da família Pearson e brinca com diferentes linhas do tempo para abordar a educação e o crescimento tanto dos irmãos Kevin (Justin Hartley), Kate (Chrissy Metz) e Randall (Sterling K. Brown) quanto dos pais Rebecca (Mandy Moore) e Jack (Milo Ventimiglia).

Embora a série não possua apenas um protagonista, é importante ressaltar a presença e a atuação de Randall Pearson (foto) em This Is Us. Desde o primeiro episódio os escritores batem na tecla da representatividade com o personagem, tanto pela cor de sua pele quanto pelo fato de ter sido adotado por Rebecca e Jack, o que deu margem para diversas discussões sobre o assunto no decorrer das temporadas.

This Is Us tem quatro temporadas disponíveis no Prime Video.

Atlanta

Além de seguir a carreira musical como Childish Gambino, Donald Glover interpreta Earn Marks em Atlanta (Imagem: Divulgação / FX)
Além de seguir a carreira musical como Childish Gambino, Donald Glover interpreta Earn Marks em Atlanta (Imagem: Divulgação / FX)

A série Atlanta foi criada e estrelada por Donald Glover, que além da carreira de ator também gerencia a vida musical sob o nome artístico Childish Gambino. Ambientada na cidade que dá o nome da série, a história acompanha dois primos, Earn (Glover), que abandonou os estudos na Universidade de Princeton aos 30 anos, e Alfred (Brian Tyree Henry) cujo maior sonho é alavancar sua carreira no rap com o nome "Paper Boi".

Ao ver que Alfred está à beira do estrelato, Earn procura desesperadamente se reconectar com o primo para se redimir aos olhos da ex-namorada, que também é mãe de sua filha, oferecendo a ele a oportunidade de gerenciar sua carreira. Atlanta conta com nomes de sucesso além de Glover, como Lakeith Stanfield (Joias Brutas, Corra!) e Zazie Beetz (Deadpool 2).

Atlanta tem duas temporadas disponíveis na Netflix.

Pose

Além de ser um espetáculo visual, é válido dizer que Pose é a melhor criação de Ryan Murphy até agora (Imagem: Divulgação / FX)
Além de ser um espetáculo visual, é válido dizer que Pose é a melhor criação de Ryan Murphy até agora (Imagem: Divulgação / FX)

Pose é uma das séries mais elogiadas de Ryan Murphy até então — e com razão. A produção traz representatividade negra e LGBT, ambientada em uma Nova Iorque dos anos 1980, quando a população estava começando a mergulhar num novo estilo de vida, a cultura ballroom. A trama dá margem para o criador Ryan Murphy usar e abusar da direção de arte com diversos figurinos e cenários vibrantes, além do elenco repleto de talento, com dançarinos e modelos interpretando personagens numa luta pela sobrevivência em um mundo cheio de preconceitos e perigoso.

Baseada em fatos reais, Pose estreou em 2018 e a segunda temporada chegou no ano seguinte, abordando mais uma série de questões sociais relevantes para serem discutidas. No papel principal está Blanca (MJ Rodriguez), uma mulher que abriga jovens LGBT que foram expulsas de suas casas numa época marcada pela ascensão da cultura de luxo e o surgimento dos bailes LGBT.

Pose tem apenas uma temporada disponível na Netflix.

Criando Dion

Altamente indicada para os fãs de super-heróis, Criando Dion conta com representatividade no papel principal (Imagem: Divulgação / Netflix)
Altamente indicada para os fãs de super-heróis, Criando Dion conta com representatividade no papel principal (Imagem: Divulgação / Netflix)

Criando Dion pode não chamar tanta atenção em meio a tantos títulos no catálogo da Netflix, mas é altamente recomendada para quem curte uma boa trama de super-heróis. Ao contar a história de Nicole (Alisha Wainwright), uma mulher que cria sozinha o filho (o ator mirim Ja’Siah Young) após a morte do marido, Mark (Michael B. Jordan), a série mostra os problemas comuns da vida de mãe solo até Dion começar a manifestar misteriosos superpoderes.

Como uma forma de proteger o filho, Nicole decide manter as poderosas habilidades do filho em segredo, contando com a ajuda de Pat (Jason Ritter), o melhor amigo de Mark. Desafios não vão faltar: será preciso proteger Dion dos que querem explorar suas habilidades e, paralelamente, desvendar a origem do poder do garoto.

Criando Dion tem a primeira temporada disponível na Netflix, a segunda chega à plataforma em breve.

Julie and the Phantoms

A iniciante Madison Reyes interpreta Julie na série musical Julie and the Phantoms (Imagem: Divulgação / Netflix)
A iniciante Madison Reyes interpreta Julie na série musical Julie and the Phantoms (Imagem: Divulgação / Netflix)

Julie and the Phantoms é um remake da série brasileira homônima que foi ao ar em 2011, produzida pela Band e distribuída pela Nickelodeon que foi repaginada de ponta a ponta por Kenny Ortega (High School Musical, Descendentes) para a Netflix. A história é puramente adolescente com cenas musicais e situações fáceis de entreterem o público jovem, mas não deixa de entregar representatividade e importantes assuntos para a tela, mesmo numa linguagem mais descontraída.

Em uma entrevista para a Folha de S. Paulo, o criador Kenny Ortega declarou que desde a fase de pré-produção uma de suas exigências era trazer representatividade para o papel protagonista, e, para isso, foram enviadas mil cartas a diferentes academias de arte nos Estados Unidos e Canadá até encontrarem Madison Reyes, adolescente porto-riquenha que na época tinha 14 anos e estudava numa escola na Pensilvânia para viver Julie, a personagem principal da série.

Julie and the Phantoms está disponível na Netflix.

Greenleaf

Produzida por ninguém menos que Oprah Winfrey, Greenleaf escancara sexo, adultério e corrupção em templo evangélico (Imagem: Divulgação / Oprah Winfrey Network)
Produzida por ninguém menos que Oprah Winfrey, Greenleaf escancara sexo, adultério e corrupção em templo evangélico (Imagem: Divulgação / Oprah Winfrey Network)

Produzida por ninguém menos que a famosa apresentadora Oprah Winfrey, Greenleaf é uma série que chegou em 2016 e teve sua quinta e final temporada esse ano, após ser cancelada na quarta pelo canal OWN, mas permitiu os criadores realizarem uma temporada de despedida. Mesmo assim, a produção conseguiu se consolidar como uma das mais polêmicas de seu ano de lançamento, estabelecendo uma base de fãs devota e assídua.

Greenleaf conta com um elenco predominantemente negro e conta a história de Grace Greenleaf (Merle Dandridge), filha do pastor James (Keith David), em seu retorno para casa depois de duas décadas e descobre os bastidores sujos de uma igreja evangélica. A série escancara escândalos envolvendo sexo, adultério, LGBTfobia e lavagem de dinheiro dentro do tempo.

Greenleaf tem cinco temporadas disponíveis na Netflix.

É importante ressaltar que o racismo é crime com base na Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989.

Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. A lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais

Denúncias da prática de racismo na internet podem ser feitas em delegacias especializadas, no portal Safernet ou pelo Disque 100.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: