Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.790,10
    -3,00 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    37.719,29
    +356,00 (+0,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

15 bilionários brasileiros perderam R$ 163 bilhões em 2021

·1 min de leitura
Principais bilionários do país amargam um segundo semestre de 2021 de prejuízos. (AP Photo/Andre Penner)
Principais bilionários do país amargam um segundo semestre de 2021 de prejuízos. (AP Photo/Andre Penner)
  • Somado o patrimônio dos 15 principais bilionários brasileiros chega a R$ 430 bilhões (US$ 116,4 bilhões)

  • Em número absolutos, Lemann amarga o maior prejuízo, e em valores relativos Trajano teve a maior perda

  • Queda de ações impactou a fortuna de boa parte dos bilionários do Brasil.

De acordo com um levantamento da Forber divulgado nesta sexta-feira (31/12). A fortuna conjunta dos 15 principais bilionários brasileiros caiu R$ 162,4 bilhões (US$ 28,3 bilhões) de 21 junho a 21 de dezembro deste ano.

O bilionário com maior prejuízo é o empresário e cofundador da Ambev, Jorge Paulo Lemann, com uma perda de R$ 28 bilhões em seu patrimônio. A perda está relacionada com a desvalorização em 17% das ações da cervejaria de Lemann na bolsa de valores de São Paulo.

Leia também:

Já quem teve a maior perda relativa foi a dona do Magazine Luiza, Luiza Trajano, com uma redução de 70% em sua fortuna. O patrimônio de Trajano passou de R$ 29,68 bilhões para R$ 7,84 bilhões. O prejuízo acompanhou a queda de 69% no valor das ações da varejista.

Houve bilionários que perderam metade de suas fortunas. É o caso do presidente do Grupo Folha e do conselho do PagSeguro, Luiz Frias. Frias fecha o ano com R$ 12,32 bilhões em seu patrimônio, pouco menos da metade dos R$ 26,32 bilhões que tinha até o meio de 2021. Assim como Lemann e Trajano, Frias tem suas perdas relacionadas a desvalorização de ações, das do PagSeguro neste caso. Os papéis da empresa de meios de pagamentos acumulam perda de 53% neste segundo semestre.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos