Mercado fechará em 6 h 11 min
  • BOVESPA

    115.878,66
    +210,88 (+0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.151,38
    -116,95 (-0,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,28
    +0,06 (+0,09%)
     
  • OURO

    1.781,00
    -16,90 (-0,94%)
     
  • BTC-USD

    51.486,04
    +522,36 (+1,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.028,89
    +34,22 (+3,44%)
     
  • S&P500

    3.925,43
    +44,06 (+1,14%)
     
  • DOW JONES

    31.961,86
    +424,51 (+1,35%)
     
  • FTSE

    6.679,90
    +20,93 (+0,31%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    13.201,50
    -100,50 (-0,76%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6420
    +0,0715 (+1,09%)
     

China anuncia número menor de mortos por COVID-19 após rever dados

·1 minuto de leitura
Técnicos de laboratório analisam mostra para comprovar possíveis casos de coronavírus COVID-19 em Shenyang, nordeste da China

As autoridades sanitárias da China anunciaram nesta sexta-feira (14) que o número total de mortos devido à epidemia COVID-19 é de 1.380, e não 1.483 como divulgado anteriormente.

A Comissão Nacional de Saúde informou que constatou "estatísticas duplicadas" na província de Hubei, epicentro da epidemia, mas não revelou mais detalhes sobre o erro.

As mesmas autoridades também removeram 1.043 casos de pacientes contaminados dos balanços de Hubei, após uma "verificação".

Com as 116 mortes verificadas em Hubei e outras cinco no resto da China nas últimas 24 horas, o número total de mortes no país é de 1.380, disseram as autoridades.

Por conta desta revisão, o número de pessoas contaminadas na China continental é de 63.851, sendo que no início desta sexta-feira esse total ultrapassava 64.000.

Com a adoção dos novos critérios de contagem de casos, os números subiram na quinta-feira e, apesar de permanecerem altos, houve uma pequena queda na sexta-feira em relação ao dia anterior.

O novo método de contagem não exige mais um exame laboratorial que confirme a presença do coronavírus como um resultado positivo, e agora uma radiografia pulmonar é suficiente.

A modificação permite às autoridades de saúde mobilizar recursos mais rapidamente para oferecer tratamento às pessoas doentes.