Mercado fechado

10 produtos gamers para comprar na Black Friday ou Natal

Felipe Demartini

O que seriam dos games se não fossem os acessórios? Por mais que os pacotes padrões do PlayStation 4 e Xbox One, por exemplo, já acompanhem tudo o necessário para jogar, bons periféricos podem ampliar essa experiência, e o mesmo vale para o PC, com alguns dispositivos apresentando uma diferença de desempenho em relação a mouses e teclados baratos.

Mas o que escolher, exatamente? O que é bom, o que vale a pena e, principalmente, quais os preços médios para reconhecer um bom desconto? O Canaltech apresenta aqui 10 acessórios gamers essenciais ou interessantes para quem quer incrementar sua experiência.

1. Cadeira gamer

A cadeira DX Gamer Tank é a recomendação de nosso editor, Sergio Oliveira (Imagem: Divulgação/G2 eSports)

Só não dá valor às cadeiras gamers quem nunca sentou em uma e notou as diferenças reais que um suporte melhor para as costas e um bom apoio de cabeça faz. Em final de ano de lançamento de Death Stranding, Shenmue III e The Outer Worlds, a perspectiva é de muitas horas na frente do PC ou console, por isso um assento confortável e com a ergonomia adequada é mais do que interessante, é essencial.

São inúmeros modelos disponíveis no Brasil, em faixas de preço variadas e também muitas marcas. Mas qual exatamente escolher? A recomendação do Sergio Oliveira, editor do Canaltech, é a DX Racer Tank. “Parece um trono”, foi a frase usada por ele para definir o modelo, que aparece entre os mais caros da fabricante, mas valeria cada centavo investido.

“A cadeira tem vários ajustes de inclinação e isso é ótimo para quem tem problema nas costas. As rodinhas não fazem barulho nenhum e são resistentes”, completou. A Tank, no catálogo da DX Racer, foi substituída pelo modelo King, que custa R$ 1.899. Quem preferir uma versão mais barata, pode optar pelas variantes da Nex, que custam de R$ 800 a R$ 999.

2. Bases de carregamento de controles e kits de bateria

O kit Carregue & Jogue do Xbox One dispensa as pilhas na utilização do joystick do console (Imagem: Divulgação/Microsoft)

Pior do que estar louco para jogar e se deparar com uma atualização é descobrir que o controle está sem bateria. O mal trazido pelo benefício dos joysticks sem fio, presentes desde a geração passada, pode ser resolvido facilmente com soluções disponíveis de acordo com as peculiaridades do PlayStation 4 ou Xbox One.

No console da Microsoft, não existe opção melhor que a oficial. O Play & Charge Kit do Xbox One acompanha uma bateria recarregável e um cabo longo para jogar mesmo durante a recarga e custa de R$ 120 a R$ 170 nos varejistas brasileiros. Quem preferir, pode optar também por pilhas recarregáveis. A indicação é o pack Bcg-34HH4GN, da Sony, que traz quatro unidades (duas de reserva, enquanto a outra dupla é usada) e um carregador por R$ 85.

Já no PlayStation 4, fica a sugestão de uma boa base de carregamento, com o joystick podendo ser ligado a ela sempre que não estiver sendo usado. De novo, a recomendação é do nosso editor Sergio Oliveira, que é fã da ChargePlay Duo, da HyperX. Ela tem preço sugerido de R$ 149 e carrega dois controles ao mesmo tempo. “Principalmente durante as sessões de Fortnite, quando o DualShock 4 descarrega, é só sacar outro rapidinho e deixar o primeiro conectado”.

3. Grip para Switch

A Nintendo sempre teve uma preocupação com ergonomia, mas no Switch esse aspecto parece entrar em conflito com a portabilidade. O tamanho diminuto dos JoyCons, tanto quando usados separadamente quanto no modo portátil, pode se tornar um problema para quem tem mãos grandes, algo que, felizmente, pode ser resolvido com um grip.

GripCase, da Skull & Co., tem três tipos diferentes de suporte e ainda acompanha uma capa para o console (Imagem: Divulgação/Skull & Co.)

Os acessórios podem ser acoplados ao joystick do Switch para dar uma “engordada” nos controles, dando mais firmeza na pegada ao aumentar o ponto de contato. Os modelos variam de preço de acordo com a qualidade ofertada, podendo ir dos R$ 50 pelos mais simples até mais de R$ 400. Nossa recomendação é o GripCase da Skull & Co., disponível em diferentes cores a partir de R$ 199, que acompanha uma capa para proteger o console e três tipos diferentes de apoios para variados formatos de mão.

4. "Camisinhas de analógico"

O item mais barato dessa lista é, também, um dos indispensáveis para os jogadores do PlayStation 4. Entre todas as escolhas questionáveis feitas pela Sony no controle do vídeo game, a maior de todas, sem dúvida nenhuma, é a borracha usada nos analógicos, que com o uso constante e o atrito com os dedos, pode rachar e descascar.

Esse pedacinho de silicone sobre o analógico do DualShock 4 faz toda a diferença na longevidade do seu controle, e ainda garante mais precisão (Imagem: Felipe Demartini)

Felizmente, essa falha pode ser resolvida facilmente com um grip, que também servirá para que os amantes dos jogos de tiro tenham mais precisão. Plenamente disponíveis no Brasil, as famosas “camisinhas de analógico” saem por a partir de R$ 7 e darão longevidade ao DualShock 4, além de servirem como item de personalização devido à esmagadora quantidade de cores e modelos. Não vamos indicar marcas específicas, mas sim o material: prefira as capinhas de silicone, laváveis e mais resistentes que as de borracha.

5. Pro Controller

Ainda falando sobre controles e novamente focando no Nintendo Switch, há quem prefira deixar os JoyCons de lado e investir em um Pro Controller, normalmente se assustando com os preços desse tipo de acessório no Brasil. Felizmente há um caminho alternativo, mesmo que, para isso, precisemos olhar para o outro lado do mundo.

O Tutuo NS é uma alternativa confiável aos Pro Controllers oficiais do Nintendo Switch (Imagem: Divulgação/Tutuo)

Nossa sugestão é o Tutuo NS, que varia de R$ 70 a R$ 100 nos principais varejistas de importação da China. O joystick funciona no Switch como um Pro Controller convencional, conectando-se ao console sem fios, mas pode ser usado tanto assim como no PC com o cabo incluso, sendo reconhecido como um joystick de Xbox 360.

A aparência é a mesma do produto da Nintendo, mas o controle passa longe de ser uma cópia pirata, chamando a atenção pela qualidade e pela marca própria, que lança periféricos gamers de baixo custo na China. Existem algumas escolhas esquisitas, como as indicações do Xbox One nos gatilhos superiores, bem como pequenos problemas, como a sensibilidade absurda desses botões. Ainda assim, é uma alternativa interessante, durável e acessível, pois custa um terço da versão oficial.

6. Joystick Bluetooth

Joystick Bluetooth da Xiaomi tem design ergonômico parecido com o do controle do Xbox 360 (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Não poderíamos nos esquecer de quem joga Free Fire, Call of Duty Mobile, Fortnite ou PUBG nos celulares. Para esses, e todos os outros que procuram por um joystick de qualidade para o PC sem pagar muito caro, o Mi Bluetooth Gamepad, da Xiaomi, pode ser uma boa opção.

Leve e claramente inspirado no joystick do Xbox 360, o modelo é ergonômico e se conecta facilmente ao celular, sendo possível também comprar o produto juntamente com um suporte para acoplar o smartphone. Lá fora, o controle custa cerca de R$ 120, mas tem um grande ponto negativo: ele é alimentado por pilhas.

7. Mouse e teclado gamer

E já que voltamos nossa atenção para PCs, sempre vale a pena citar o duo de ataque mais querido da master race: os mouses gamers e os teclados mecânicos. Sobre os últimos, sempre, há muito o que dizer, enquanto uma lista do Canaltech cita diversos deles, com os mais diferentes propósitos, preços e designs.

Avell Volcano foi considerado um mouse gamer com bom custo-benefício e foco na ergonomia (Imagem: Wagner Wakka)

Especificamente para o público gamer, deixaremos aqui três sugestões. O Avell Volcano, em review publicado em junho de 2019, foi considerado uma opção com bom custo-benefício, tendo sete botões e os tradicionais ajustes de sensibilidade, bem como um bom encaixe na mão e foco na ergonomia. Ele custa cerca de R$ 130 no Brasil.

Já entre os teclados, duas recomendações. Quem procura algo mais robusto pode optar pelo Alloy Elite RGB, da Hyper X, que custa entre R$ 650 e R$ 799 e traz switches Cherry MX e suporte acoplado. Quem deseja pagar mais barato ou quer economizar espaço na mesa pode escolher o OEX Bionic Reloaded, que dispensa o teclado numérico, mas adiciona corpo de metal e teclas confortáveis, saindo por aproximadamente R$ 300.

8. Headset

Mais do que gráficos e jogabilidade, o mundo dos games é feito de sons. É por meio deles que as desenvolvedoras criam o terror, indicam o posicionamento de inimigos ou abrem as portas da furtividade. E para aproveitar tudo isso, um bom headset é essencial, e você ainda vai poder usar o produto no seu smartphone.

Um vídeo recente do Canaltech, com a comparação entre diferentes modelos da Sony, pode ser um bom ponto de partida para a sua escolha. Todos são sem fio, ou seja, funcionam no PlayStation 4 e Xbox One, mas não no Switch, enquanto o uso nos PCs é possível caso sua máquina tenha conexão Bluetooth. Os preços vão de R$ 600 a R$ 1.600, de acordo com a escolha.

Headset Wireless Gold, da Sony, oferece boa qualidade e pode ser conectado sem fio, pelo Bluetooth, ou por meio de cabo P2 (Imagem: Divulgação/Sony)

Caso esteja procurando um produto com foco nos games, mas com a mesma versatilidade, vale a pena prestar atenção no headset Wireless Gold. Custando a partir de R$ 499 nos principais varejistas brasileiros, o modelo é obviamente focado no PlayStation 4, mas também funciona no Xbox One e PC, além de acompanhar cabo P2 para o conectar a aparelhos que não possuam conexão sem fio, como é o caso do Switch.

9. Volante

Simulador ou arcade, qual sua opção? Uma das bases fundamentais do mundo dos games são os jogos de corrida, e, na atual geração, eles se tornaram mais realistas, complexos e interessantes do que nunca. Um joystick comum jamais daria conta disso e é por isso que incluímos em nossa lista um bom volante. E fomos perguntar a um especialista sobre qual o melhor modelo.

De acordo com Igor Napol, volantes da Logitech têm o melhor custo-benefício para quem está começando (Imagem: Divulgação/Logitech)

A recomendação de Igor Napol, jornalista e Piloto de Mentirinha, são os modelos da Logitech, que, segundo ele, trazem o melhor custo-benefício para quem quer começar a pilotar. As sugestões são o G29, que funciona no PC e PS4, ou o G920, compatível com Xbox One e computador. “Ambos são extremamente robustos e oferecem uma experiência bem considerável por um preço relativamente baixo. E caso o jogador tenham algum problema, o que é raríssimo, a marca conta com serviço de garantia bastante eficiente”, completa Napol.

Os dois modelos acompanham pedais de metal, acabamento de borracha para melhorar a pegada e force feedback para reproduzir os elementos de jogo nas mãos do jogador. Os volantes Logitech G29 ou G920 custam cerca de R$ 1.300.

10. "Teclado" para lives

Stream Deck, da Elgato, tem botões com LEDs customizáveis e permite acesso direto a atalhos (Imagem: Divulgação/Elgato)

Por fim, uma dica para quem quer levar o ato de jogar para outro nível e, também, compartilhar isso com o público. Fazer gameplay ao vivo e se tornar uma celebridade é o sonho de muita gente. Aqui no Canaltech já mostramos o que cada plataforma oferece de diferente e também apresentamos um guia básico do que você precisa para começar.

Como ir além, entretanto? O Stream Deck, da Elgato, coloca o controle completo de suas lives, transições, aplicativos e recursos, literalmente, na ponta dos dedos. O pequeno teclado, se é que podemos chamar assim, tem botões com displays que exibem os atalhos que o criador de conteúdo desejar, com tudo ficando acessível com apenas um toque.

São três edições disponíveis. O Stream Deck está disponível na versão convencional, com 15 botões e que custa em média R$ 999; mas também em uma opção Mini, com seis botões (R$ 699) ou XL, com 32 botões, por R$ 1.699.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: