Mercado abrirá em 5 h 47 min
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,53 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,15 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,57
    +0,18 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.890,20
    +13,60 (+0,72%)
     
  • BTC-USD

    22.776,97
    -613,84 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    522,82
    -14,04 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,89 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.239,72
    -420,75 (-1,94%)
     
  • NIKKEI

    27.660,89
    +151,43 (+0,55%)
     
  • NASDAQ

    12.571,50
    -52,50 (-0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5376
    -0,0009 (-0,02%)
     

10 plantas perigosas para cachorros e gatos

Mesmo aparentemente inofensivas, algumas plantas podem ser tóxicas e perigosas para animais de estimação, como cachorros e gatos. Em casos extremos, mastigar folhas, bulbos e flores podem levar o seu pet a precisar de ajuda veterinária urgente ou ainda provocar o óbito do animal, quando o tratamento ocorre tarde demais. Kalanchoe, Jiboia e Flor-de-Natal devem ser evitadas em casas com pets.

Por plantas perigosas para cachorros e gatos, entendemos que são os vegetais que, se ingeridos em condições naturais, provocam sinais clínicos de intoxicação até a morte do animal, explica a cartilha desenvolvida pela Escola de Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Além dos dados brasileiros, o Canaltech consultou para esta lista orientações da Universidade da Geórgia e da American Society for the Prevention of Cruelty to Animals (Aspca), ambos sediados nos Estados Unidos.

A seguir, confira 10 plantas perigosas para cachorros e gatos, e consideradas bastante tóxicas para a ingestão:

1. Azaleia

Azaleia é uma planta tóxica para animais domésticos (Imagem: Stetphotos/Envato)
Azaleia é uma planta tóxica para animais domésticos (Imagem: Stetphotos/Envato)

Conhecida popularmente como Azaleia, a planta Rhododendron spp pode provocar casos de intoxicação em cães e gatos, mas também em carneiros e ovelhas. Quando ingere o vegetal, o animal tende a apresentar um quadro de salivação, vômitos, diminuição da frequência cardíaca, tremores, tonturas e fraqueza. O principal tóxico é a graianotoxina.

2. Kalanchoe

Plantas do gênero Kalanchoe podem causar convulsões e óbito em cachorros e gatos (Imagem: Grafvision/Envato)
Plantas do gênero Kalanchoe podem causar convulsões e óbito em cachorros e gatos (Imagem: Grafvision/Envato)

De fácil cultivo, plantas do gênero Kalanchoe podem florir durante todo o ano, quando bem iluminadas pelo Sol. No entanto, as diferentes espécies desse vegetal são bastante perigosas para pets, especialmente se as folhas forem ingeridas. Aqui, o principal composto tóxico são os glicosídeos cardioativos.

"A forma de ação desse princípio tóxico é aumentar a força de contração do músculo do coração, por inibição da bomba de sódio e potássio do coração. Esse aumento de contração pode levar a lesões cardíacas", explicam os pesquisadores da UFG. Dependendo do nível de ingestão, causa convulsões, coma ou ainda a morte.

3. Comigo-Ninguém-Pode

Deixe a Comigo-Ninguém-Pode longe dos animais de estimação (Imagem: Mashirtanya/Envato)
Deixe a Comigo-Ninguém-Pode longe dos animais de estimação (Imagem: Mashirtanya/Envato)

No caso da Comigo-Ninguém-Pode (Dieffenbachia seguine), o próprio nome popular já alerta para os possíveis riscos, mesmo que intuitivamente. Aqui, o princípio tóxico mais comum é oxalato de cálcio, encontrado na forma de pequenas agulhas que cobrem todo o vegetal. Dessa forma, a planta provoca diferentes formas de intoxicação ao entrar em contato com a pele, os olhos ou a boca do cachorro e do gato. Entre as possíveis complicações, estão: lesão da córnea, inflamação, dor, dificuldade respiratória e até obstrução da faringe, o que pode ser fatal.

4. Jiboia

A jiboia é recoberta por cristais de oxalato de cálcio, o que a torna bastante perigosa (Imagem: Sandra Martins/Unsplash)
A jiboia é recoberta por cristais de oxalato de cálcio, o que a torna bastante perigosa (Imagem: Sandra Martins/Unsplash)

Bastante comum nos lares brasileiros, a trepadeira Jiboia (Epipremnum pinnatum) é também recoberta por cristais de oxalato de cálcio, como ocorre com a Comigo-Ninguém-Pode e outras espécies da família Araceae. Por isso, pode causar inúmeras complicações ao pet, principalmente em casos de ingestão. Casos de óbito já foram relatados, quando há o fechamento das vias respiratórias.

5. Tulipa

O bulbo das tulipas pode provocar problemas gastrointestinais em cachorros e gatos (Imagem: Rozum/Envato)
O bulbo das tulipas pode provocar problemas gastrointestinais em cachorros e gatos (Imagem: Rozum/Envato)

Em cores variadas, as tulipas (Narcissus spp) são famosas por desabrocharem na primavera e, após o período de floração, "morrerem". Na verdade, os bulbos permanecem vivos e, em condições ideais, vão gerar novas flores na próxima temporada. Aqui, o ponto especial de perigo para os pets é justamente o bulbo. Se ingerido, pode provocar irritação gastrointestinal intensa, salivação, perda de apetite, convulsões e anormalidades no coração.

6. Flor-de-natal

Deixe a Flor-de-Natal longe dos animais domésticos em casa, o que evita complicações (Imagem: Manuta/Envato)
Deixe a Flor-de-Natal longe dos animais domésticos em casa, o que evita complicações (Imagem: Manuta/Envato)

Popularmente conhecida como a Flor-de-Natal ou Bico-de-Papagaio, o arbusto Euphorbia pulcherrima com folhas geralmente na cor vermelha é bastante tóxico para animais de estimação. Pensando na toxicidade do vegetal, os pets não devem entrar em contato com a seiva e nem com as folhas, já que contêm ésteres diterpenoides, que causam irritação no local do contato e, posteriormente, intoxicação. Quando atingem o olho do pet, é possível encontrar relatos de perda parcial ou total da visão.

7. Espada-de-São-Jorge

Apesar de comum no Brasil, a Espada-de-São-Jorge não deve ser ingerida por sua toxicidade (Imagem: Anyra22/Envato)
Apesar de comum no Brasil, a Espada-de-São-Jorge não deve ser ingerida por sua toxicidade (Imagem: Anyra22/Envato)

A Espada-de-São-Jorge (Dracaena trifasciata) é uma planta bastante comum nos lares brasileiros e, como outras plantas já listadas, também possuí cristais de oxalato de cálcio nas folhas e nos rizomas. Dessa forma, pode provocar diferentes formas de intoxicação em cachorros e gatos, inclusive pode obstruir a faringe do pet — uma complicação potencialmente mortal.

8. Costela-de-Adão

A ingestão das folhas da Costela-de-Adão pode provocar casos graves de intoxicação em pets (Imagem: Edalin/Envato)
A ingestão das folhas da Costela-de-Adão pode provocar casos graves de intoxicação em pets (Imagem: Edalin/Envato)

Reconhecida pelas folhas grandes e verdes em formato de coração, a Costela-de-Adão (Monstera deliciosa) pode provocar quadros de intoxicações em cães e gatos devido à presença do oxalato de cálcio. Aqui, o risco maior é ao morder a planta e, dependendo das circunstâncias, a saúde do animal pode ser severamente afetada. Em casos extremos, pode provocar a morte.

9. Lírio

A ingestão de lírios pode provocar problema nos rins do animal (Imagem: Alex9500/Envato)
A ingestão de lírios pode provocar problema nos rins do animal (Imagem: Alex9500/Envato)

Com fragrância marcante, as flores dos gêneros Lilium, como os lírios verdadeiros, e Hemerocallis podem causar graves formas de intoxicação em animais, afetando prioritariamente os rins. Isso porque carregam compostos nefrotóxicos, espalhados por toda a planta, o que pode colocar a vida do animal em risco.

Passadas algumas horas da ingestão, o cachorro ou gato pode apresentar um quadro de salivação exacerbada, vômito, recusa a se alimentar, poliúria (grande volume de urina) e desidratação. Enquanto isso, outros problemas diretamente nos rins podem ser provocados, como dificuldades em filtrar o sangue.

10. Cannabis

Cannabis não deve ser ingerida por animais domésticos devido aos riscos do THC (Imagem: Sonyachny/Envato)
Cannabis não deve ser ingerida por animais domésticos devido aos riscos do THC (Imagem: Sonyachny/Envato)

Apesar de ser conhecida por supostos efeitos relaxantes em humanos, a Cannabis sativa pode levar animais a desenvolverem casos de intoxicação, provocados na maioria das vezes pelo tetraidrocanabinol (THC) — o composto psicoativo da erva. Nessas circunstâncias, o animal pode perder o controle muscular, apresentar incontinência urinaria, ficar desorientado, desenvolver fotofobia (sensibilidade forte à luz), ter tremores ou ainda sofrer com alterações cardíacas.

É importante esclarecer que esta lista traz apenas 10 espécies de plantas perigosas para pets, mas outras flores, folhagens e arbustos podem ser igualmente ou mais perigosos. Por isso, em caso de suspeita de intoxicação ou de dúvidas, procure sempre por atendimento veterinário para o seu cachorro ou gato. Se possível, leve também o vegetal que foi ingerido pelo animal.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: