Mercado abrirá em 4 h 54 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,68
    -0,37 (-0,57%)
     
  • OURO

    1.694,90
    +16,90 (+1,01%)
     
  • BTC-USD

    53.548,39
    +3.168,74 (+6,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.079,63
    +55,42 (+5,41%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    28.615,68
    +74,85 (+0,26%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.457,50
    +160,25 (+1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9831
    +0,0233 (+0,33%)
     

10 lendas do futebol que não se deram bem como treinadores dos times em que brilharam

Thomas Savoia
·6 minuto de leitura

Na lista de hoje revisamos alguns ex-jogadores que foram lendas em campo, mas que não tiveram sorte nos bancos de reserva do clube:

1. Gattuso

ACF Fiorentina v AC Milan - Serie A | Gabriele Maltinti/Getty Images
ACF Fiorentina v AC Milan - Serie A | Gabriele Maltinti/Getty Images

O italiano passou grande parte da sua carreira no Milan entre 1999 e 2012, por onde conquistou duas Champions League, uma Serie A, uma Coppa Italia, duas Supertaças da Itália, um Mundial de Clubes e duas Supertaças da Europa. Ele marcou 11 gols e deu 20 assistências em 468 jogos como rossonero.

Sua passagem como treinador do Milan foi entre novembro de 2018 e maio de 2019, antes de iniciar sua atual jornada no Napoli. Não conquistou nenhum título. Eles terminaram em 6º e 5º lugares na Série A e na Liga Europa e caíram nas oitavas de final e na fase de grupos, respectivamente. Dirigiu 82 jogos nos quais registrou 40 vitórias, 22 empates e 20 derrotas.

2. Thierry Henry

Amiens SC v AS Monaco - Ligue 1 | Jean Catuffe/Getty Images
Amiens SC v AS Monaco - Ligue 1 | Jean Catuffe/Getty Images

Thierry Henry jogou pelo Mônaco nas categorias de base e chegou à equipe principal em 1994, onde passou cinco anos antes de ir para a Juventus. No time monegasco conquistou a Ligue 1, mas já alertava para o que estava por vir. Depois de sua experiência como braço direito de Roberto Martínez na seleção belga, decidiu retornar ao time francês para atuar como treinador em outubro de 2018. Em janeiro de 2019, foi demitido após 20 jogos, dos quais venceu 5, empatou 4 e perdeu 11. Deixou a equipe nas semifinais da Copa da Liga Francesa como único destaque.

3. Frank Lampard

Chelsea v Manchester City - Premier League | Marc Atkins/Getty Images
Chelsea v Manchester City - Premier League | Marc Atkins/Getty Images

O inglês jogou pelo Chelsea entre 2001 e 2014, clube onde passou mais anos de sua carreira como jogador de futebol. Lá ele ganhou três Premier Leagues, uma Champions League, quatro FA Cup, duas League Cup, uma Europa League e duas Super Cups da Inglaterra, marcando 210 gols e dando 151 assistências em 648 jogos como meio-campista. Ele é o quinto artilheiro da história do campeonato inglês (177).

Como treinador, chegou em julho de 2019 e não conquistou nenhum título antes de ser dispensado, mas conseguiu chegar à final da FA Cup, terminar em quarto na temporada passada da Premier League e deixar seu time classificado para as oitavas de final da Champions e da FA Cup este ano. Tem 84 jogos no cargo, com 44 vitórias, 15 empates e 25 derrotas.

4. Fernando Hierro

Spain v Russia: Round of 16 - 2018 FIFA World Cup Russia | Jean Catuffe/Getty Images
Spain v Russia: Round of 16 - 2018 FIFA World Cup Russia | Jean Catuffe/Getty Images

O ex-zagueiro espanhol disputou 90 partidas pela seleção espanhola, marcando 30 gols e dando 3 assistências. Seu melhor resultado nas Copas do Mundo foram as quartas-de-final, em 1994 e 2002, repetindo o resultado nas Copas de 1996 e 2000.

Sua última aventura como técnico, a segunda após passar pelo Real Oviedo, foi após a demissão de Julen Lopetegui poucos dias antes do início da Copa do Mundo de 2018 na Rússia, quando sua chegada ao Real Madrid foi anunciada antes da competição. Sua equipe caiu nas oitavas de final contra os donos da casa, dando uma imagem distante do que era esperado.

5. Diego Armando Maradona

Argentina Press Conference | Denis Doyle/Getty Images
Argentina Press Conference | Denis Doyle/Getty Images

Maradona disputou 90 partidas pela seleção argentina, o que o ajudou a marcar 34 gols. Foi o principal responsável por levar o albiceleste ao título da Copa do Mundo de 1986, além de chegar à final em 1990.

Em outubro de 2008 foi nomeado técnico, vencendo 18 jogos e perdendo 6 dos que dirigiu. Neste caso, não é uma trajetória ruim em si, mas a forma como caiu, recebendo um goleada de 4x0 da Alemanha nas quartas de final da Copa do Mundo 2010.

6. Ladislao Kubala

O ex-jogador húngaro é um dos principais nomes da história do Barcelona, ​​onde jogou entre 1950 e 1963. Lá ganhou quatro edições da LaLiga, cinco Copas del Rey, duas Copas de Feiras, duas Copas Eva Duarte e uma Copa Latina. Ele marcou 194 gols em 256 jogos pelo clube.

Teve duas aventuras no banco do Barça, ambas não muito boas. A primeira foi entre novembro de 1961 e janeiro de 1963, em que venceu 14 jogos, obteve 6 empates e 8 derrotas em 28 disputas. Na segunda, entre julho e novembro de 1980, o saldo foi de 7 vitórias e 6 derrotas em 13 participações, sem conquistar um título.

7. Alan Shearer

Malcolm Couzens Archive | Malcolm Couzens/Getty Images
Malcolm Couzens Archive | Malcolm Couzens/Getty Images

O inglês é o maior artilheiro da história da Premier League com 260 gols. Ele fez a maior parte de sua carreira no Newcastle, chegando em 1996 e pendurando as chuteiras em 2006. Ele não ganhou um título com o clube, mas se estabeleceu como uma lenda do futebol inglês.

Entre abril e junho de 2009, teve sua única aventura no banco de reservas, dirigindo oito jogos para seu ex-time. Ele só conseguiu uma vitória, com três empates e cinco derrotas, antes de encerrar a campanha em que o rebaixamento do Campeonato não pôde ser evitado.

8. Clarence Seedorf

AC Milan v US Sassuolo Calcio - Serie A | Claudio Villa/Getty Images
AC Milan v US Sassuolo Calcio - Serie A | Claudio Villa/Getty Images

O ex-jogador de nacionalidade holandesa e surinamesa esteve no Milan entre 2002 e 2012, sua passagem mais longa como jogador de futebol. Lá ele marcou 62 gols e deu 73 assistências em 432 jogos, além de vencer duas Champions League, duas Serie A, uma Coppa Italia, uma Super Cup da Itália, um Mundial de Clubes, uma Copa Intercontinental e duas Super Copas da Europa.

Sua primeira aventura como treinador foi de janeiro a junho de 2014, justamente no Milan, dirigindo 22 jogos. Venceu 11, empatou 2 e perdeu 9, sendo eliminado de forma decisiva nas oitavas de final da Liga dos Campeões e terminando a Série A na 7ª colocação.

9. Marco Van Basten

Ajax Amsterdam v SC Heerenveen - Eredivisie | Dean Mouhtaropoulos/Getty Images
Ajax Amsterdam v SC Heerenveen - Eredivisie | Dean Mouhtaropoulos/Getty Images

O ex-atacante holandês jogou pelo Ajax e pelo Milan, passando pelo seu país de origem entre 1982 e 1987, nos primeiros anos profissionais. Ele marcou 152 gols e deu 33 assistências em 172 jogos para levantar três Eredivisie, três Copas da Holanda e uma Copa das Taças da Europa.

Ele comandou 45 partidas entre julho de 2008 e maio de 2009 pelo time da capital, onde venceu 26, empatou 8 e perdeu 11. Nesse ano terminou em terceiro lugar no campeonato, eliminado nas oitavas de final da Copa UEFA e na rodada de 32 do torneio da copa.

10. Ruud Gullit

FBL-GULLIT-PRESS CONFERENCE | FRED ERNST/Getty Images
FBL-GULLIT-PRESS CONFERENCE | FRED ERNST/Getty Images

O atacante de nacionalidade holandesa e surinamesa deu seus primeiros passos como profissional em Haarlem, mas seu primeiro time historicamente destacado foi o Feyenoord Rotterdam, onde esteve entre 1982 e 1985. Em 103 jogos marcou 41 gols e deu 11 assistências, além de ter ganhando uma Eredivisie e uma Copa da Holanda.

Foi treinador do sseu ex-time na temporada 2004-05, onde venceu 24 jogos, empatou 6 e perdeu 14, deixando a equipa em 4º lugar na Eredivisie, nas semifinais da taça e nas oitavas de final da Taça da UEFA.