Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,48 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,98 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,43
    -4,06 (-4,86%)
     
  • OURO

    1.651,70
    -29,40 (-1,75%)
     
  • BTC-USD

    18.917,94
    -101,33 (-0,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    434,61
    -9,92 (-2,23%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,27 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.018,60
    -140,92 (-1,97%)
     
  • HANG SENG

    17.933,27
    -214,68 (-1,18%)
     
  • NIKKEI

    27.153,83
    -159,30 (-0,58%)
     
  • NASDAQ

    11.388,00
    -177,50 (-1,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0976
    +0,0649 (+1,29%)
     

1º voo tripulado da cápsula Starliner é adiado para 2023

O primeiro voo espacial tripulado da Boeing deverá demorar um pouco mais para acontecer. De acordo com um comunicado publicado pela empresa nesta quinta-feira (25), a cápsula Starliner ainda precisa de alguns ajustes, e o voo deverá acontecer somente em fevereiro de 2023 — antes, os oficiais da Boeing esperavam lançá-lo até o fim de 2022.

A missão mais recente da cápsula Starliner foi a OFT-2, em maio deste ano, sem astronautas a bordo. A nave foi lançada rumo à Estação Espacial Internacional (ISS) e conseguiu se acoplar ao laboratório orbital mesmo com problemas nos propulsores e uma falha no sistema de controle térmico, que demorou para começar a funcionar. Mesmo assim, a Starliner cumpriu com sucesso os objetivos da missão.

Na época do voo, a Boeing afirmou que a Starliner tinha redundância o suficiente para seguir a missão mesmo com as falhas. Segundo o comunicado da Boeing, a empresa está trabalhando junto da NASA para solucionar as anomalias do teste de voo OFT-2 antes do voo Crew Flight Test (CFT), o qual levará os astronautas Barry “Butch” Wilmore e Suni Williams à ISS. Eles ficarão trabalhando por lá durante oito dias.

Wilmore será o comandante da missão, enquanto Williams servirá como piloto da nave. Nas próximas semanas, eles devem experimentar seus trajes espaciais e entrar no módulo da nave para analisar os sistemas do veículo e as interfaces que vão dar suporte de vida e segurança deles durante a missão. A NASA e a Boeing já realizaram um ensaio do cronograma pré-lançamento da missão, junto das respostas a diferentes cenários do lançamento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: