Mercado abrirá em 1 h 42 min
  • BOVESPA

    107.005,22
    +758,07 (+0,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.289,91
    +895,88 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,45
    +0,24 (+0,21%)
     
  • OURO

    1.844,60
    +3,40 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    30.303,83
    +1.150,43 (+3,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    676,72
    +24,49 (+3,75%)
     
  • S&P500

    3.900,79
    -22,89 (-0,58%)
     
  • DOW JONES

    31.253,13
    -236,94 (-0,75%)
     
  • FTSE

    7.445,19
    +142,45 (+1,95%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    12.033,25
    +155,00 (+1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2221
    +0,0033 (+0,06%)
     

1% dos mais ricos concentra 38% de todo o dinheiro do mundo

·2 min de leitura
Conceito de desigualdade
Hoje, cerca de 520 mil bilionários são donos de 11% de todo o dinheiro no mundo

(Getty Images)

  • Pesquisa mostra que 38% de todo o dinheiro mundial está nas mãos de apenas 1% da população

  • Enquanto isso, os 50% mais pobres dividem 2% da fortuna

  • Brasil segue como um dos países mais desiguais

Enquanto 38% de toda a riqueza do mundo se concentra nas mãos de apenas 1% da população mais rica, os 50% mais pobres precisam dividir 2% de toda essa fortuna. É o que aponta o estudo Desigualdade Mundial 2022, produzido pelo laboratório francês Thomas Piketty, e que consolida dados entre os anos 1995 e 2021.

Leia também:

Hoje, cerca de 520 mil bilionários são donos de 11% de todo o dinheiro no mundo. Eles configuram o top 0,01% de maior acúmulo que, em 1995, detinha 7% da riqueza. As informações são do UOL.

Desigualdade regional

O acúmulo de riqueza também varia de um continente para o outro. A Europa é onde a desigualdade é menor, sendo que a América Latina e o leste da Ásia estão em um patamar mediano. Enquanto no continente que abriga o Brasil os 10% mais ricos detém 55% da receita total, na parte asiática o número cai para 43%.

Já o maior nível de desigualdade concentra-se no Oriente Médio e África do Norte. Em ambas as regiões, os 10% mais ricos compõem 58% da renda total.

Brasil

De acordo com o estudo, "O Brasil é um dos países mais desiguais do mundo. Os 10% do topo capturam 59% da renda total nacional, enquanto a metade inferior [da pirâmide de riqueza] da população leva apenas cerca de 10%".

A pesquisa ainda aponta que, desde os anos 2000, o país estava obtendo resultados mais positivos, especialmente por conta do aumento do salário mínimo e de programas como o Bolsa Família. Entretanto, a ausência de reformas tributárias e fundiárias fizeram com que a desigualdade se mantivesse forte no país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos