Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.927,60
    -2,40 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    23.527,07
    +548,74 (+2,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Índices de ações da China fecham em alta, Hong Kong cai em meio a preocupações com postura do Fed

Pedestre passa em frente a painel gigante mostrando cotação do índice de ações de Xangai, em Xangai, China

Por Summer Zhen

HONG KONG (Reuters) - As ações da China fecharam em alta nesta terça-feira, enquanto as ações de Hong Kong perderam força conforme os fortes dados de serviços dos Estados Unidos levantaram dúvidas se o Federal Reserve optará por reduzir logo o tamanho das altas de sua taxa de juros.

Preocupações com as intenções do Fed contrabalançaram parte do otimismo decorrente das esperanças de que a China logo reduzirá sua estrita estratégia de combate à Covid-19.

As negociações foram interrompidas por três minutos na terça-feira nos mercados chineses, enquanto o país prestava homenagem ao ex-líder Jiang Zeming.

As ações de Hong Kong caíram depois de atingir seu nível mais alto desde 1º de setembro nesta terça-feira.

A China deve anunciar uma nova flexibilização de algumas das restrições mais duras do mundo contra a Covid já na quarta-feira, disseram fontes à Reuters.

Mais cidades chinesas relaxaram algumas regras de quarentena e testagem, e o país pode eventualmente rebaixar seu gerenciamento da Covid como uma doença infecciosa de categoria A de nível superior para uma doença de categoria B menos rigorosa já em janeiro.

No entanto, pelo menos no curto prazo, o aumento dos casos de Covid e as medidas de contenção estão pressionando a demanda e a produção.

Alimentos e bebidas e semicondutores saltaram 2,8% e 2,2%, respectivamente, liderando os ganhos. Imobiliário e saúde caíram 1,3% e 1,1%, respectivamente.

Em Hong Kong, as empresas de tecnologia recuaram 1,8%, com o Alibaba caindo 3%.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,24%, a 27.885 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,40%, a 19.441 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,02%, a 3.212 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,54%, a 3.968 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,08%, a 2.393 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 1,68%, a 14.728 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,46%, a 3.252 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,47%, a 7.291 pontos.