Mercado fechará em 6 h 42 min
  • BOVESPA

    119.959,39
    +38,78 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.934,91
    +535,11 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,01
    -0,70 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.830,10
    +14,40 (+0,79%)
     
  • BTC-USD

    57.476,16
    +23,94 (+0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.518,68
    +47,26 (+3,21%)
     
  • S&P500

    4.201,62
    +34,03 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    34.548,53
    +318,19 (+0,93%)
     
  • FTSE

    7.109,46
    +33,29 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.725,50
    +127,75 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3615
    -0,0051 (-0,08%)
     

Índice tem 4ª alta e flerta com 121 mil pontos; Cia Hering dispara

Paula Arend Laier
·4 minuto de leitura
.

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em alta nesta quinta-feira, mas sem conseguir sustentar o patamar dos 121 mil pontos, em meio a movimentos de realização de lucros, enquanto Cia Hering disparou quase 28% após virar alvo de aquisição.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa avançou 0,34%, a 120,700,67 pontos, engatando a quarta alta seguida. Na máxima, alcançou 121.408,72 pontos.

O volume financeiro no pregão somou 30,35 bilhões de reais.

Wall Street colaborou, registrando novas máximas históricas de S&P 500 e Dow Jones, com dados macroeconômicos e corporativos reforçando a percepção de retomada da economia norte-americana.

"O ponto mais importante de hoje é que saíram dados da economia norte-americana que reforçam a volta do crescimento", avaliou o diretor de investimentos da Reach Capital, Ricardo Campos, destacando ainda a queda nos rendimentos dos Treasuries.

Esse cenário, acrescentou, fez com que os ativos de todos emergentes se beneficiassem e pudemos ver os reflexos disso no Brasil, com risco país, juros e dólar caindo e bolsa subindo.

Além disso, Campos chamou a atenção para dados do setor de serviços que vieram positivos, que, somados aos dados recentes de atividade, corroboram a percepção de que o PIB do primeiro trimestre pode não ser tão ruim como se esperava.

Na visão de participantes do mercado, porém, a robustez do mercado brasileiro continua segue restrita pela crise sanitária, além da cena política tensa e da situação fiscal periclitante.

Para efeito de comparação, o S&P 500 acumula em 2021 valorização de 11%, enquanto o Ibovespa sobe apenas 1,41% e cai 6,28% quando considerado o desempenho em dólar.

DESTAQUES

- CIA HERING ON saltou 28,13%, maior alta diária desde 2004, para 21,91 reais, após a varejista de moda receber - e recusar - proposta de fusão feita pela fabricante de calçados e acessórios Arezzo. Na negativa à proposta, a Cia Hering afirmou que manterá seu plano estratégico de combinar construção de marcas e expansão, com a busca por crescimento orgânico, e análise de "oportunidades inorgânicas", abrindo espaço para a avaliação de que a empresa se transformou em alvo de aquisição. AREZZO ON, que não está no Ibovespa, disparou 8,35%, renovando máxima de fechamento a 80,95 reais.

- JBS ON valorizou-se 3,63%, para o recorde de fechamento de 34,51 reais. O Credit Suisse reiterou perspectiva "bullish" para a empresa, após encontro com o presidente-executivo da unidade norte-americana Pilgrim's Pride, citando que ela pode ser uma surpresa positiva nos resultados de 2021, já que o aumento nos preços de aves parece mais do que compensar a alta dos grãos, garantindo níveis saudáveis de spreads.

- BRASKEM PNA valorizou-se 3,54%, ampliando a alta no ano para 105,85%, em meio a expectativas relacionadas à venda da participação da Novonor (ex-Odebrecht) na petroquímica. O papel vem encontrando suporte na avaliação no mercado de que a empresa está bem posicionada para aproveitar a sólida demanda por produtos petroquímicos, além do movimento de desalavancagem e o progresso contínuo nas frentes de Alagoas e México.

- VALE ON avançou 1,13%, renovando máximas, com o setor de mineração e siderurgia ainda beneficiado pelas perspectivas de reabertura pós-Covid e estímulos fiscais monetários e econômicos fortes no exterior para reavivar as economias, além de ambiente favorável a preço de aço no Brasil. A Associação Mundial de Aço elevou de 4,1% para 5,8% a projeção de crescimento da demanda global por aço. Para o BTG Pactual, ainda é cedo para o rali no setor se dissipar.

- IGUATEMI ON avançou 2,42%, em sessão de recuperação de ações de shopping centers entre outras companhias que tendem a se beneficiar da reabertura da economia e seguem atingidas por medidas de isolamento social. MULTIPLAN ON subiu 1,89% e BRMALLS ON ganhou 0,72%.

- GPA ON recuou 5,08%, em sessão de ajustes, após acumular até a véspera alta de mais de 15% apenas em abril, em meio a potencial desinvestimento que acarretaria em evento de liquidez para o varejista.

- PETROBRAS PN caiu 1,99%, mesmo com o viés positivo do petróleo no exterior. Tampouco ajudou a aprovação de acionistas na quarta-feira de proposta de dividendos de 10,27 bilhões de reais, referente a 2020, e o anúncio de que elevará o preço do diesel nas refinarias em cerca de 3,8% e o da gasolina em 1,9%. O conselho de administração da Petrobras se reúne na sexta-feira para avaliar propostas de eleição do novo presidente e diretores executivos.

- ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN terminaram estáveis.