Índice de serviços sobe 0,97% em janeiro, aponta Fipe

O Índice Geral de Serviços (IGS) registrou taxa de inflação de 0,97% na capital paulista em janeiro, de acordo com divulgação feita nesta segunda-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O resultado superou a taxa de 0,87% de dezembro e representou o maior número desde janeiro do ano passado, quando a inflação foi de 1,02%.

De maneira idêntica à observada durante todo o mês de janeiro de 2013, a taxa do IGS mostrou números inferiores aos do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), o mais tradicional do instituto. No encerramento do mês passado, a aceleração do IPC, por sinal, foi bem mais acentuada ante dezembro, com a taxa geral passando de 0,78% para 1,15%, o maior resultado desde janeiro de 2010 (1,34%).

Conforme avaliação do coordenador do IPC e do IGS, Rafael Costa Lima, o primeiro índice recebeu pressões mais fortes que o segundo em janeiro, especialmente de itens e subgrupos que não fazem parte de Serviços. Exemplo maior foi o comportamento dos alimentos in natura no IPC. Eles apresentaram aumento de 8,25% no mês passado, o mais expressivo desde fevereiro de 2003, quando avançou 9,40%.

"Alimentos (in natura) e cigarros explicam a diferença", comentou o coordenador, lembrando também da elevação expressiva de 15,65% do cigarro. Este item liderou o ranking de pressão de alta do IPC, com uma contribuição de 0,18 ponto porcentual para o indicador tradicional da Fipe.

Dentro do IGS, uma variação positiva de item que mereceu destaque foi a das passagens aéreas, de 16,89%. Quanto ao comportamento de grupos, o avanço de 6,58% da Educação foi o mais intenso e ficou dentro do esperado pela Fipe.

Dentro do grupo vilão, o item Educação Infantil apresentou elevação de 9,55%. Foi seguido pelas altas no Ensino Médio (9,23%), Ensino Fundamental (8,84%), Ensino Superior (6,57%) e Pós-graduação/MBA (4,13%). Fora da parte de cursos regulares, destaque também para o item Berçário/maternal, que subiu 6,98% em janeiro.

Carregando...