Mercado fechado
  • BOVESPA

    93.952,40
    -2.629,76 (-2,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.987,86
    +186,49 (+0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,72
    -0,45 (-1,24%)
     
  • OURO

    1.878,80
    +10,80 (+0,58%)
     
  • BTC-USD

    13.555,11
    +256,27 (+1,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    264,69
    +1,05 (+0,40%)
     
  • S&P500

    3.269,96
    -40,15 (-1,21%)
     
  • DOW JONES

    26.501,60
    -157,51 (-0,59%)
     
  • FTSE

    5.577,27
    -4,48 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    24.107,42
    -479,18 (-1,95%)
     
  • NIKKEI

    22.977,13
    -354,81 (-1,52%)
     
  • NASDAQ

    11.089,00
    -253,75 (-2,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0584 (-0,87%)
     

Índice de rejeição a Doria é de 39% e a Bolsonaro, de 46% em SP, segundo Datafolha

Valor
·2 minutos de leitura

Aprovação do governador é de 21% na capital paulista e do presidente é de 29% Entre os eleitores da capital paulista, 46% consideram o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ruim ou péssimo e 39% reprovam a gestão do governador João Doria (PSDB), segundo pesquisa Datafolha divulgada hoje pelo site do jornal "Folha de S.Paulo". A percepção do eleitorado será um termômetro do quanto o apoio de Bolsonaro e Doria pode ajudar ou atrapalhar os candidatos associados a eles na disputa pela Prefeitura de São Paulo. A pesquisa Datafolha ouviu 1.092 pessoas entre 21 e 22 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais. O levantamento foi encomendado pela "Folha de S.Paulo" e registrado no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo sob o número 06594/2020. Na capital, 29% consideram Bolsonaro ótimo ou bom, igual índice de quem acha regular. Dois porcento não souberam responder. Doria, que foi eleito prefeito da capital em 2016 e renunciou para disputar o governo em 2018, é aprovado por 21%. Outros 39% acham ruim ou péssimo, mesmo percentual dos que consideram regular. Um porcento disse não saber. Nestas eleições, o PSDB de Doria é representado por Bruno Covas, então vice e que agora tenta a reeleição. O deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) é associado a Bolsonaro e conta com o apoio do presidente, embora Bolsonaro venha dizendo que evitará revelar apoio a candidatos nas eleições municipais. Dados da sondagem do Datafolha divulgados ontem também indicaram a resistência de parte do eleitorado. Somente 8% dos entrevistados disseram votar em um candidato indicado pelo governador paulista e apenas 11% acompanhariam a indicação do presidente. A percepção do eleitorado é um termômetro do quanto o apoio de Doria e Bolsonaro pode influenciar a disputa pela prefeitura de SP Marcos Corrêa/Presidência da República