Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.575,52
    +50,35 (+0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Índice europeu STOXX 600 atinge picos em 3 meses; Credit Suisse cai após sinalizar forte perda

Salão da Bolsa de Valores de Frankfurt

Por Sruthi Shankar e Devik Jain

(Reuters) - O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em alta nesta quarta-feira, depois que ganhos de mineradoras compensaram perdas do Credit Suisse após seu alerta de lucro, enquanto investidores aguardam as atas das últimas reuniões de política monetária do Federal Reserve e do Banco Central Europeu para obter pistas sobre futuros aumentos nas taxas de juros.

O STOXX 600 fechou em alta de 0,60%, a 438,82 pontos, seu nível mais forte desde 19 de agosto. As ações de mineração ampliaram ganhos pela segunda sessão e subiram 1,8%, enquanto viagens e lazer e varejistas < .SXRP> ganharam 1,9% e 1,7%, respectivamente.

O Credit Suisse caiu 6,1% depois que o credor suíço disse que espera ter um prejuízo antes de impostos de até 1,5 bilhão de francos suíços (1,58 bilhão de dólares) no quarto trimestre, com a saída de clientes ricos.

O STOXX 600 avançou 14,6% em relação às mínimas de fechamento de setembro, impulsionado por uma série de fatores, que incluem uma temporada de balanços corporativos do terceiro trimestre melhor do que o esperado.

A ata da reunião do Fed de novembro, que será divulgada às 16h00 (de Brasília), oferecerá novas pistas sobre a trajetória dos juros. Os operadores veem uma chance de 79% de que o banco central dos EUA aumente os juros em 0,50 ponto percentual em dezembro.

O Banco Central Europeu divulgará a ata de sua reunião na quinta-feira.

Em uma última onda de comentários de formuladores de política monetária, Mário Centeno disse à Reuters que o BCE deve desacelerar o ritmo de alta das taxas de juros a partir de dezembro e enviar uma mensagem clara de que aumentos recordes de 0,75 ponto percentual não são a norma, já que a inflação provavelmente atingirá o pico neste trimestre.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,17%, a 7.465,24 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,04%, a 14.427,59 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,32%, a 6.679,09 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,04%, a 24.581,14 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 ficou estável, a 8.331,20 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,41%, a 5.870,77 pontos.