Mercado abrirá em 9 h 4 min
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,00
    +0,39 (+0,45%)
     
  • OURO

    1.796,70
    +3,60 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    36.932,96
    +939,54 (+2,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    834,94
    +15,44 (+1,88%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.554,31
    +84,53 (+1,13%)
     
  • HANG SENG

    23.515,12
    -291,88 (-1,23%)
     
  • NIKKEI

    26.720,06
    +549,76 (+2,10%)
     
  • NASDAQ

    14.138,25
    +151,50 (+1,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0287
    +0,0047 (+0,08%)
     

Índice europeu de ações tem maior alta em mais de um ano com empresas de tecnologia e montadoras

·1 min de leitura
Bolsa de Valores de Frankfurt

Por Anisha Sircar e Susan Mathew

(Reuters) - As ações europeias saltaram 2,5% nesta terça-feira, impulsionadas por uma forte recuperação em papéis de tecnologia, em meio à redução de temores sobre a variante Ômicron do coronavírus, enquanto as ações alemãs subiram quase 3%, puxadas pelas montadoras.

O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em alta de 2,45%, a 480,18 pontos, sua melhor sessão desde novembro do ano passado, voltando a níveis vistos antes do surgimento de temores sobre a nova variante do vírus.

"Os vendedores da semana passada foram expulsos do caminho numa correria para voltar às ações agora que os temores sobre a Ômicron estão diminuindo quase tão rapidamente quanto apareceram. Bilhões foram devolvidos aos preços dos papéis desde as mínimas de sexta-feira, com dezembro mantendo sua reputação como um dos meses mais fortes para as ações", disse Chris Beauchamp, analista-chefe de mercados do IG.

As ações de tecnologia avançaram 5,6%, após atingirem mínimas em sete semanas na segunda-feira, enquanto as mineradoras acompanharam ganhos nos preços do cobre e do minério de ferro, já que a China, maior consumidora dos metais, flexibilizou sua política monetária.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 1,49%, a 7.339,90 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 2,82%, a 15.813,94 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 2,91%, a 7.065,39 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 2,41%, a 27.137,98 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 1,42%, a 8.559,50 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 1,04%, a 5.567,68 pontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos