Mercado abrirá em 6 h 31 min
  • BOVESPA

    114.428,18
    -219,81 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.686,03
    -112,35 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,74
    +0,30 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.774,80
    +9,10 (+0,52%)
     
  • BTC-USD

    62.408,01
    +128,03 (+0,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.458,24
    +6,61 (+0,46%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.203,83
    -30,20 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.724,36
    +314,61 (+1,24%)
     
  • NIKKEI

    29.187,33
    +161,87 (+0,56%)
     
  • NASDAQ

    15.286,00
    -4,50 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4119
    +0,0204 (+0,32%)
     

Índice de desemprego nos EUA cai a 4,8% em setembro

·2 minuto de leitura
(Arquivo) Placa que diz "Estamos contratando" em supermercado da Flórida (AFP/JOE RAEDLE)

Os Estados Unidos criaram 194 mil empregos em setembro, o que fez o índice de desemprego cair até 4,8%, segundo dados publicados pelo governo nesta sexta-feira (8).

Foram criados menos empregos que o esperado, mas a taxa de desemprego diminuiu mais do que o previsto pelos analistas. O Departamento do Trabalho apontou que o emprego aumentou em lazer e hotelaria, setores muito afetados pela covid-19, mas diminuiu na educação pública.

A criação de empregos diminuiu em relação aos 366 mil gerados em agosto (depois de uma revisão para cima), o que pode ser um sinal de que a variante delta da covid-19 gerou dúvidas nas empresas e freou o emprego.

A economia americana criou 17,4 milhões empregos desde abril de 2020, quando o mercado de trabalho foi abalado pela chegada da covid-19, mesmo que, segundo dados oficiais, ainda faltem cinco milhões de empregos para chegar aos que tinha antes da pandemia.

O lazer e a hotelaria acrescentaram 74 mil empregos em setembro, enquanto os estabelecimentos de comida e bebida - uma das indústrias mais vulneráveis aos surtos de covid-19 - se mantiveram praticamente iguais pelo segundo mês consecutivo, depois de criarem mensalmente uma média de 197.000 empregos entre janeiro e julho.

A educação da administração local perdeu 144 mil empregos e a estadual outros 17.000.

As autoridades alertam no relatório que "as recentes mudanças no emprego são difíceis de interpretar, já que as oscilações de pessoal relacionadas à pandemia na educação pública e privada distorceram os padrões normais de contratação e demissão sazonais".

A taxa de população ativa, que indica a proporção dos cidadãos empregada ou que busca ativamente trabalho, ficou em 61,6% no mês passado, dentro da faixa em que se moveu desde junho do ano passado.

cs/bfm/dga/gm/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos