Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.893,32
    -1.682,15 (-1,52%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.778,87
    +104,57 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,22
    -0,12 (-0,26%)
     
  • OURO

    1.780,50
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.520,29
    +111,27 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,09
    +17,50 (+4,80%)
     
  • S&P500

    3.621,63
    -16,72 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    29.638,64
    -271,73 (-0,91%)
     
  • FTSE

    6.266,19
    -101,39 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    26.341,49
    -553,19 (-2,06%)
     
  • NIKKEI

    26.433,62
    -211,09 (-0,79%)
     
  • NASDAQ

    12.321,25
    +44,25 (+0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3612
    -0,0134 (-0,21%)
     

Índice de Confiança do Empresário Industrial sobe em novembro

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) cresceu 1,1 ponto frente a outubro e atingiu 62,9 pontos em novembro. Segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada hoje (13), a confiança está cada vez mais intensa e disseminada no setor industrial e o indicador situa-se mais próximo ao pico pré-pandemia: 64,7 pontos em fevereiro.

O indicador varia de 0 a 100 pontos, sendo que todos os valores acima de 50 pontos indicam empresários confiantes e melhora da situação corrente ou expectativa otimista.

A CNI destacou que, desde agosto, o ICEI retrata confiança ao registrar valores acima da linha dos 50 pontos.

Melhora da economia

Para a entidade, o aumento da confiança foi estimulado pela melhora da percepção sobre as condições atuais das empresas e da economia brasileira em relação aos últimos seis meses.

Já as expectativas para os próximos seis meses variaram pouco, mas seguem otimistas. Em novembro, o Índice de Expectativas registrou 64,8 pontos, praticamente não variando em relação a outubro: aumento de 0,3 ponto.

A pesquisa contou com entrevistas a 1.395 empresas, sendo 539 de pequeno porte, 526 de médio porte e 330 de grande porte, entre 3 e 9 de novembro.