Mercado fechará em 6 h 44 min
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,50
    -1,16 (-1,40%)
     
  • OURO

    1.803,90
    +5,10 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    61.080,86
    +2.404,71 (+4,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.471,63
    -2,70 (-0,18%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.227,46
    -25,81 (-0,36%)
     
  • HANG SENG

    25.555,73
    -73,01 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.820,09
    -278,15 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    15.672,75
    +85,50 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4732
    +0,0485 (+0,75%)
     

Índice cai abaixo de 110 mil pontos após abertura por Fed, China e Copom

·1 minuto de leitura
Painel motra cotações na B3 em São Paulo

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - As ações brasileiras registravam forte queda na abertura dos negócios desta segunda-feira, refletindo a tensão do mercado com possível retirada de estímulos à economia dos Estados Unidos, uma crise no setor imobiliário da China e nova alta de juros no Brasil nesta semana.

Às 10:17, o Ibovespa mostrava desvalorização de 1,45%, aos 109.827 pontos, atingindo novas mínimas desde novembro do ano passado.

Na sexta-feira, o índice já havia tido baixa de 2,07%, a 111.439,37 pontos, menor fechamento desde 9 de março.

Ações de bancos e de empresas de commodities lideravam as perdas do índice.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos