Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,70
    +0,50 (+0,64%)
     
  • OURO

    1.762,40
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    16.451,05
    +229,45 (+1,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    389,69
    +0,96 (+0,25%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    28.027,84
    -134,99 (-0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.502,50
    -22,25 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4524
    -0,0968 (-1,74%)
     

Índice acionário europeu STOXX 600 cai 1% após baixa da Mercedes; perspectiva da Target pesa sobre varejistas

Operador trabalha na bolsa de Frankfurt, Alemanha

Por Shreyashi Sanyal e Devik Jain

(Reuters) - O índice pan-europeu STOXX 600 encerrou uma sequência de ganhos de quatro dias nesta quarta-feira, pressionado por perdas nas ações do Mercedes Benz Group, enquanto uma previsão sombria da grande varejista norte-americana Target pressionou varejistas regionais diante de preocupações com gastos do consumidor.

O STOXX 600 fechou em queda de 0,99%, a 430,15 pontos. Os papéis de automóveis caíram 3,7% e registraram sua maior queda percentual diária em quase sete semanas.

A Mercedes Benz cedeu 6,2% depois que a montadora premium alemã cortou os preços de alguns de seus modelos EQE e EQS na China devido à mudança na demanda do mercado por veículos elétricos de última geração.

Os varejistas perderam 3,4% depois que a Target previu um declínio surpreendente nas vendas de fim de ano, culpando o aumento da inflação e "mudanças dramáticas" nos gastos do consumidor por uma queda geral na demanda, de brinquedos a eletrônicos.

Pesando ainda mais sobre os varejistas do Reino Unido, como Ocado e Marks and Spencer, dados mostraram que a inflação britânica atingiu o maior nível em 41 anos de 11,1% --um dia antes de o ministro das finanças do país, Jeremy Hunt, anunciar aumentos de impostos e cortes de gastos "difíceis, mas necessários" para controlar o crescimento dos preços.

Um relatório de inflação da zona do euro para outubro está previsto para quinta-feira.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,25%, a 7.351,19 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,00%, a 14.234,03 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,52%, a 6.607,22 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,68%, a 24.531,27 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 1,06%, a 8.101,40 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,35%, a 5.797,76 pontos.