Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.634,29
    -173,70 (-0,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Índia recorre a médicos aposentados do exército enquanto alta de Covid traz apelos por lockdown

·1 minuto de leitura

Por Abhirup Roy e Aishwarya Nair

MUMBAI (Reuters) - A Índia deve recrutar centenas de médicos aposentados do exército para apoiar seu sistema de saúde sobrecarregado, disse o ministério da defesa neste domingo, enquanto o país luta contra infecções e mortes por Covid-19 em meio a apelos furiosos por um lockdown em todo o país.

Espera-se que cerca de 400 oficiais médicos atuem sob contrato por no máximo 11 meses, disse o ministério em um comunicado à imprensa, acrescentando que outros médicos de defesa também foram convocados para consultas online.

Casos e mortes de Covid-19 têm batido recordes a cada dois ou três dias. As mortes aumentaram em mais de 4.000 pelo segundo dia consecutivo neste domingo.

Muitos Estados indianos impuseram lockdowns rígidos no mês passado, enquanto outros anunciaram restrições ao movimento público e fecharam cinemas, restaurantes, pubs e shoppings.

Mas a pressão está aumentando sobre o primeiro-ministro Narendra Modi para anunciar um lockdown nacional, como fez durante a primeira onda no ano passado.

A Associação Médica Indiana (IMA) pediu um bloqueio "completo, bem planejado e pré-anunciado", em vez de toques de recolher noturnos "esporádicos" e restrições impostas pelos Estados por alguns dias.

"O IMA está surpreso ao ver a letargia extrema e as ações inadequadas do ministério da saúde no combate à crise agonizante nascida da segunda onda devastadora da pandemia Covid-19", disse o órgão em um comunicado no sábado.

(Por Abhirup Roy em Mumbai e Aishwarya Nair em Bangalore; Reportagem adcional de Saurabh Sharma em Lucknow e Anuron Kumar Mitra em Bangalore)