Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.779,20
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    32.610,59
    +1.020,22 (+3,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    767,68
    -26,65 (-3,36%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.309,76
    -179,24 (-0,63%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.272,25
    +14,00 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9208
    +0,0010 (+0,02%)
     

Índia pede para WhatsApp retirar novos termos de uso

·2 minuto de leitura
Índia pede para WhatsApp retirar novos termos de uso
Índia pede para WhatsApp retirar novos termos de uso

O governo da Índia está, novamente, em conflito com o Facebook e o tema da vez é a nova política de privacidade do WhatsApp. Em uma carta, o Ministério de Eletrônica e Tecnologia da Informação (MeitY) pede que a empresa desista da atualização.

O TechCrunch teve acesso ao documento. No texto enviado nesta terça-feira (18) para o Facebook, o MeitY diz que a companhia tem sete dias para responder com medidas “satisfatórias”. Caso o contrário, o caso será levado para os tribunais.

“No cumprimento de sua responsabilidade soberana de proteger os direitos e interesses dos cidadãos indianos, o governo da Índia considerará várias opções disponíveis de acordo com as leis da Índia”, diz a carta sobre o WhatsApp.

Índia e o WhatsApp

O governo indiano já havia expressado “graves preocupações” relacionadas à nova política de privacidade. Após diversas discussões, com governos de diferentes países, a plataforma adiou as medidas em três meses, até o último dia 15 de maio.

Leia mais:

Com mais de 450 milhões de usuários, a Índia é o maior mercado de usuários do WhatsApp no mundo. “Não é apenas problemático, mas também irresponsável, para o WhatsApp aproveitar esta posição para impor termos e condições injustos aos usuários indianos, especialmente aqueles que discriminam os usuários indianos em relação aos usuários na Europa”, escreveu o ministério na carta.

No entanto, o WhatsApp alega que outras empresas na Índia mantêm políticas semelhantes de dados e que a nova medida não é ilegal. Além disso, a empresa de Mark Zuckerberg afirma que a comunicação na plataforma permanece tão privada quanto antes.

A nova política de privacidade diz respeito ao compartilhamento de dados do mensageiro com o Facebook. O prazo para aceitar acabou no último sábado (15), mas a plataforma fez um acordo no Brasil para não limitar os recursos de quem se recusar aceitar por um período de 90 dias.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos