Mercado abrirá em 27 mins
  • BOVESPA

    119.920,61
    +356,17 (+0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.934,91
    +535,11 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,33
    -0,38 (-0,59%)
     
  • OURO

    1.819,50
    +3,80 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    56.729,57
    -1.029,77 (-1,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.472,44
    +1,03 (+0,07%)
     
  • S&P500

    4.201,62
    +34,03 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    34.548,53
    +318,19 (+0,93%)
     
  • FTSE

    7.119,65
    +43,48 (+0,61%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.630,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Índia não vê lógica em EUA colocar o país em lista de monitoramento do câmbio

·1 minuto de leitura

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Índia não vê nenhuma lógica nos Estados Unidos colocá-la em uma lista de monitoramento de manipuladores cambiais, disse uma autoridade do Ministério do Comércio nesta terça-feira.

"Não entendo nenhuma lógica econômica", disse Anup Wadhawan, secretário do Comércio da Índia, a repórteres. O banco central do país está seguindo uma política monetária que permite movimentos cambiais com base nas forças do mercado, complementou.

Na semana passada, o Departamento do Tesouro dos EUA colocou a Índia junto com outras 10 economias, incluindo Cingapura, Tailândia e México em sua "lista de monitoramento", que disse requerer atenção especial às suas práticas cambiais.

A autoridade disse que o superávit comercial da Índia com os Estados Unidos aumentou quase 5 bilhões de dólares no ano financeiro de 2020 e 2021 até 31 de março.

O superávit comercial bilateral da Índia em bens com os Estados Unidos totalizou 24 bilhões de dólares em 2020, junto com um superávit comercial de serviços de 8 bilhões de dólares, informou o relatório dos EUA.

As autoridades indianas devem limitar a intervenção cambial a "circunstâncias de condições desordenadas de mercado e se abster do acúmulo excessivo de reservas", disse o relatório, citando maiores compras de dólares pelo banco central por conta dos fluxos de capital.

Alguns economistas disseram que a recente medida dos Estados Unidos de colocar a Índia na lista de monitoramento pode desencorajar o banco central de uma intervenção agressiva no mercado de câmbio estrangeiro.

(Por Manoj Kumar)