Mercado abrirá em 4 h 52 min
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,69
    +1,19 (+1,93%)
     
  • OURO

    1.752,10
    +23,30 (+1,35%)
     
  • BTC-USD

    46.356,62
    +1.738,34 (+3,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    926,46
    -6,68 (-0,72%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    29.422,85
    +442,64 (+1,53%)
     
  • NIKKEI

    29.663,50
    +697,49 (+2,41%)
     
  • NASDAQ

    13.109,75
    +198,75 (+1,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7559
    -0,0024 (-0,04%)
     

Índia anuncia que vai aumentar a produção de vacinas para outros países

·1 minuto de leitura
Um profissional da saúde participa de uma simulação para a entrega da vacina contra o coronavírus Covid-19 realizada no hospital SSKM em Calcutá em 8 de janeiro de 2021.

O primeiro-ministro Narendra Modi anunciou nesta quinta-feira (28) que seu país aumentará a produção de vacinas para outros países.

"Em um futuro próximo, teremos mais vacinas. As vacinas da Índia ajudarão outros países a combater a pandemia", disse Modi em um discurso ao Fórum de Davos, que este ano será realizado online.

A Índia abriga o maior fabricante mundial de vacinas, o Instituto Serum, que já forneceu milhões de doses para países asiáticos e também para outros fora da região, como Brasil e Marrocos.

Suas exportações aumentarão em breve e seus próximos clientes incluem Arábia Saudita, Canadá, África do Sul e Mongólia, anunciou o Ministério das Relações Exteriores.

A Índia registrou 123 mortes e 11.666 novas infecções nas últimas 24 horas, e as restrições em vigor serão relaxadas novamente, disse o governo.

Em setembro, a Índia registrava mais de 1.000 mortes por dia e quase 100.000 novos casos. A Índia "evitou uma grande tragédia controlando" a pandemia, disse Modi.

As últimas diretrizes do governo, divulgadas na quarta-feira, permitem a reabertura de piscinas e mais de 50% da capacidade dos cinemas.

Mas especialistas alertam que o país não está protegido contra uma nova onda de infecções.

"A capacidade de manter a vigilância será crucial para detectar novos surtos devido às novas variantes", disse Rajib Dasgupta, professor de saúde da Universidade Jawaharlal Nehru.

Com 11 milhões de infecções detectadas, a Índia é o segundo país do mundo com mais casos, atrás dos Estados Unidos.

abh-stu-grk/st/jz/mb/jc