Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.471,92
    +579,70 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,74 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,53
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.772,60
    -15,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    23.112,51
    -110,97 (-0,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    533,20
    -2,02 (-0,38%)
     
  • S&P500

    4.145,19
    -6,75 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.803,47
    +76,65 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.439,74
    -8,32 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.201,94
    +27,90 (+0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.175,87
    +243,67 (+0,87%)
     
  • NASDAQ

    13.216,50
    -110,50 (-0,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2666
    -0,0739 (-1,38%)
     

É possível recuperar uma bateria viciada?

Baterias de celulares e outros dispositivos podem se tornar uma grande dor de cabeça, especialmente quando sua capacidade não é a mesma que um dia já foi. Alguns produtos, como os da Apple, são capazes de mostrar exatamente qual é a saúde do tanque em comparação com o momento em que ele saiu da loja — muitas vezes, o resultado pode ser decepcionante.

Baterias de celulares atuais não viciam, mas perdem capacidade ao longo do tempo (Imagem: Divulgação/Realme)
Baterias de celulares atuais não viciam, mas perdem capacidade ao longo do tempo (Imagem: Divulgação/Realme)

Entretanto, antes é preciso realizar uma correção importante de conceitos: baterias atuais de smartphones não "viciam", ou seja, não sofrem do chamado efeito memória. Por isso, não é mais necessário deixar o celular na tomada por várias horas na primeira recarga, por exemplo.

Aparelhos mais novos têm baterias de íons de lítio (Li-Ion), com algumas vantagens em relação aos módulos de níquel cádmio (NiCd), incluindo o fim do efeito memória. Dessa forma, a capacidade de carga retida não deve mais cair de forma abrupta, e o que acontece é apenas um desgaste natural do componente ao longo dos anos.

Como recuperar uma bateria antiga

Infelizmente, não há um método completamente efetivo para recuperar a capacidade de segurar carga de uma bateria. Além disso, os smartphones atuais possuem tanques não removíveis pelo usuário, então será necessário levar o aparelho até uma assistência técnica para que a substituição seja realizada.

Reparos de bateria não costumam estar entre os mais caros nas lojas especializadas, já que esse posto geralmente é ocupado pelas telas. Mesmo assim, é preciso analisar bem a proposta que será feita, e mensurar se não vale mais a pena adquirir um modelo completamente novo — afinal, se a bateria do celular não está mais segurando a carga, é provável que ele já tenha alguns anos de uso.

Como manter a saúde da bateria

Trocas de baterias são necessárias quando a capacidade cai demais, mas é preciso levar o aparelho até uma assistência técnica (Imagem: YouTube/iFixit)
Trocas de baterias são necessárias quando a capacidade cai demais, mas é preciso levar o aparelho até uma assistência técnica (Imagem: YouTube/iFixit)

Como não existe uma maneira de o próprio usuário recuperar a capacidade da bateria, e os reparos estão cada vez mais dificultados, torna-se mais importante cuidar bem da saúde do tanque.

Os íons de lítio, presentes nas baterias atuais, são os responsáveis pelo fluxo de cargas elétricas entre os dois lados da bateria, o anodo e o catodo. Este movimento é fundamental para que determinado dispositivo seja alimentado e efetivamente funcione.

Não há como evitar que os componentes químicos da bateria tenham algum desgate, mas algumas ações podem retardar este processo e aumentar sua vida útil. É essencial utilizar apenas carregadores de qualidade, e manter o dispositivo em condições favoráveis de temperatura e umidade, por exemplo.

As baterias de celulares passam por um estresse maior quando estão em seus extremos de utilização, ou seja, próximas de 0% ou 100%. Portanto, o ideal é manter cargas parciais, em uma faixa entre 30 e 80%, ou até mais intermediária.

Entretanto, esta solução não é exatamente prática, afinal é muito mais comum carregar baterias até 100% — especialmente se o aparelho for carregado enquanto o usuário está dormindo. De qualquer forma, não é preciso se preocupar muito: tanques atuais podem durar por anos com capacidades satisfatórias, mesmo se a utilização não for perfeita neste período.

Outra forma de otimizar a duração da bateria é simplesmente fazer com que o aparelho gaste menos energia. Isto pode ser alcançado por meio de modos de economia, com a desativação de serviços quando não estão sendo utilizados (Wi-Fi, Bluetooth, GPS), limitando a sincronização em segundo plano de apps e contas, ou apenas mantendo um nível mais baixo de brilho na tela.

Otimizando a bateria em aparelhos Android

Aparelhos atuais contam com modos de otimizar o gasto de energia (Imagem: Vinícius Moschen/Canaltech)
Aparelhos atuais contam com modos de otimizar o gasto de energia (Imagem: Vinícius Moschen/Canaltech)

Realizar a carga em velocidades mais lentas também pode auxiliar na manutenção da capacidade, e o próprio sistema Android pode auxiliar nesse quesito. Em aparelhos da Samsung com One UI 4.1, por exemplo, basta acessar Configurações > Assistência do aparelho e bateria > Bateria > Mais configurações de bateria > Carregamento rápido.

Atenção: Celulares com diferentes sistemas operacionais e interfaces podem ter caminhos distintos para os menus de gerenciamento da bateria.

Por meio do mesmo menu, também é possível proteger a bateria ao limitar a carga máxima a 85%. De qualquer forma, tecnologias atuais de carregamento costumam ser muito seguras para a vida útil da bateria, com recargas a diferentes velocidades dependendo do estágio do processo.

No final das contas, o famoso ditado “é melhor prevenir do que remediar” é ainda mais relevante no caso das baterias de celular, até porque muitas vezes o conserto simplesmente não é uma opção válida.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos