Mercado fechado

É possível engravidar depois dos 50? Entenda o caso de Claudia Raia

Na última segunda-feira (19), a atriz Claudia Raia anunciou ao público a sua terceira gravidez. Aos 50 anos, a global chegou a congelar óvulos — uma forma de preservar a fertilidade da mulher, para que ela possa engravidar no futuro. Embora não tenha sido divulgado se a gravidez foi espontânea ou se foi realizado um procedimento de fertilização, o ocorrido foi o suficiente para levantar discussões sobre engravidar após os 50. O que a ciência nos diz, então?

Embora não seja impossível engravidar naturalmente aos 50 anos, é muito raro. Com isso, quem busca a gravidez depois dos 50 costuma precisar de ajuda para a fertilidade. O que acontece é que a menopausa inviabiliza a gravidez espontânea, mas tecnologia já deu um jeito nisso através de métodos como a fertilização in vitro.

Inclusive, aqui no Canaltech, já ressaltamos como a tecnologia evoluiu a indústria da reprodução humana, através dos filhos da ciência. No que diz respeito a técnicas de reprodução assistida, a fertilização in vitro é uma das mais famosas.

A técnica consiste em juntar o óvulo e o espermatozoide e formar o embrião em laboratório. Enquanto isso, a outra técnica de reprodução assistida mais famosa, a inseminação artificial, consiste em coletar o sêmen e prepará-lo, concentrando e pegando os espermatozoides mais espertos e ágeis, e então colocando o sêmen dentro do útero no momento da ovulação.

É possível engravidar depois dos 50, e a tecnologia pode ajudar nisso (Imagem: olia danilevich/Pexels)
É possível engravidar depois dos 50, e a tecnologia pode ajudar nisso (Imagem: olia danilevich/Pexels)

Basicamente, à medida que envelhece, a mulher tem menos óvulos e é mais provável que o filho tenha alguma condição genética, sindrômica ou não. A maioria das mulheres que engravidam após os 50 anos usa óvulos doados, mas é possível usar seus próprios óvulos previamente congelados.

Mulheres com mais de 50 anos que engravidam com óvulos doados enfrentam riscos de complicações semelhantes às mulheres mais jovens. Um estudo com 101 mulheres com mais de 50 anos que deram à luz com óvulos de doadoras descobriu que elas tinham aproximadamente a mesma taxa de complicações que mulheres com 42 anos ou menos.

Embora haja muitos benefícios em ter um bebê após os 50 anos, também existem alguns riscos, incluindo maior probabilidade de diabetes gestacional, pressão alta, parto prematuro ou a necessidade de uma cesariana.

Para aumentar suas chances de ter uma gravidez saudável após os 50 anos, os médicos orientam fazer um pré-natal regular, aderir a uma dieta saudável, manter as atividades físicas, evitar álcool, tabaco e drogas, conversar com o médico sobre medicamentos e suplementos.

Os cientistas ressaltam a necessidade de cuidados especializados durante a gravidez depois dos 50, incluindo aconselhamento pré-concepcional para discutir riscos, avaliação especializada dos riscos para você e seu bebê, consultas pré-natais mais frequentes, monitoramento contínuo do progresso do seu bebê, testes precoces e tratamento para diabetes gestacional e hipertensão.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: