Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.344,48
    -35,96 (-0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

“É necessário permitir que bancos trabalhem com Bitcoin”, diz presidente de agência Federal dos EUA

·2 min de leitura
Dólar Bitcoin e bandeira dos EUA
Dólar Bitcoin e bandeira dos EUA

Jelena McWilliams, presidente da agência governamental FDIC responsável pela garantia de depósitos bancários, afirmou em entrevista à Reuters que é necessário permitir que bancos entrem no setor de criptomoedas.

A experiência de vida de Jelena é um dos principais motivos da sua posição favorável às criptomoedas e a inovação trazida por elas. Há três décadas atrás ela vivenciou a dificuldade de realizar transferências internacionais, ainda muito precárias nos dias de hoje.

Segundo Jelena, esta evolução de envios e pagamentos ocorrerá com ou sem a ajuda de bancos e governos. Agora o Estado precisa decidir se quer ter algum controle, e lucro, sobre isso ou então deixar que empresas possam explorar este nicho.

A história de Jelena McWilliams

Em discurso durante o Money 20/20, maior evento global de fintech, Jelena contou um pouco de sua história e os motivos pelos quais é necessário que leis governamentais deixem o setor aberto para inovações.

Jelena conta que nasceu na Iugoslávia e imigrou para os EUA há trinta anos atrás com apenas 500 dólares no bolso, precisando trabalhar em vários empregos, vendendo carros e facas, bem como limpando casas e pegando horários alternativos em uma locadora de filmes.

Parte do dinheiro ganho era então enviado para sua família na Iugoslávia, que passava por um período de hiperinflação. A atual presidente da FDIC explica que enviar dinheiro naquela época era difícil e além disso muitas vezes o dinheiro era roubado no caminho.

Por conta de sua história, Jelena acredita que o governo americano não deve criar leis que proíbam a inovação do setor de criptomoedas. Afinal hoje enviar Bitcoin para outros países é a forma mais barata e rápida para realizar remessas internacionais.

Com ou sem bancos, está acontecendo

Em entrevista a Reuters nesta terça-feira, Jelena defendeu que o governo precisa permitir que bancos trabalhem com Bitcoin. Afirmando que essa inovação vai acontecer com ou sem eles, e da segunda forma o governo não terá controle nenhum.

“Se não trouxermos essa atividade para dentro dos bancos, ela vai se desenvolver fora dos bancos. Os reguladores federais não serão capazes de regulá-la.”

Dando sequência, ela explicou que é necessário oferecer um caminho para que bancos possam fazer a custódia de criptomoedas, bem como usá-las até mesmo como forma de garantia.

Hoje mais da metade dos maiores bancos já estão expostos a criptomoedas de alguma forma, e esta porcentagem é ainda maior se excluirmos os bancos chineses da equação. Fornecer uma clareza regulatória permitirá que eles ofereçam mais opções a seus clientes, bem como melhorarão seus serviços devido a competição.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos