Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    48.194,64
    +177,37 (+0,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

‘É mais fácil eu dar uma sova no meu marido que ele ousar levantar a mão para mim’, diz Joice Hasselmann

·3 minuto de leitura

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) decidiu se pronunciar sobre o que descreve como “ilações” reverberadas após a revelação de que ela sofreu fraturas. Ela acredita ter sido “vítima de um atentado”. O marido da parlamentar, o neurocirurgião Daniel França, passou a ser vinculado à agressão nas redes sociais. Joice rechaça veementemente essa versão. Diz que isso passou a ser a dito para “criar uma cortina de fumaça para que não se descubra a verdade” sobre o que aconteceu na madrugada do domingo passado.

– De maneira muito canalha, estão tentando desviar o foco e colocar o meu marido em suspeição. Quem me conhece e conhece o Daniel sabe que é muito mais fácil eu dar uma sova nele do que ele ousar levantar a mão para mim. O meu marido é o tipo de homem que puxa a cadeira para eu me sentar, abre a porta do carro e me espera na porta de casa com uma taça de champanhe. Ele é um príncipe, incapaz de dar um tapinha no meu gato para assustá-lo – disse Joice à coluna.

A parlamentar repetiu à coluna o que disse em entrevista desta quinta-feira. Joice relata que quem a socorreu foi seu marido, o neurocirurgião Daniel França, que costuma passar os fins de semana em Brasília. A deputada ligou para o celular do marido às 7 horas da manhã, porque não conseguia se levantar (ela mostrou para a coluna o registro dos telefonemas no seu celular).

A deputada relata que ele dormia em outro quarto da casa. Ao levar a reportagem ao local em que acordou ferida, a parlamentar mostrou o cômodo onde afirmou que estava Daniel França, naquela noite. Joice diz que o casal costuma dormir separado, porque o marido tem problemas com ronco. A parlamentar afirma que França a levou para o quarto, fez curativos e ministrou os remédios.

– Daniel foi a primeira pessoa a me socorrer, a exigir que eu fizesse as tomografias. É uma canalhice tentarem envolvê-lo nesse episódio. Isso tem um intuito de criar uma cortina de fumaça para que não se descubra a verdade. Não vou permitir. Se (o agressor) fosse meu marido, filho, pai ou irmão, eu teria denunciado e colocado na cadeia. Qualquer um que me conhece minimamente sabe disso.

Joice disse também que “é lutadora” e que Daniel França costuma repetir para amigos do casal, em tom de brincadeira, que “o que me causa mais medo é tomar uma coça” da mulher.

– Ele sabe que, aqui, não é brincadeira, não – emendou a parlamentar.

A coluna publicou nesta quinta-feira uma entrevista com a parlamentar, em que ela relatou que acordou em uma “poça de sangue”, na manhã de domingo, depois de um lapso de memória de sete horas. Joice afirmou que não se lembra de nada desde a noite de sábado, quando estava em sua cama, vendo TV. Ela suspeita ter sido agredida e, por isso, solicitou a abertura de uma investigação na Polícia Legislativa. A deputada disse que indicará o seu marido como uma das testemunhas do caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos