Mercado abrirá em 6 h 3 min
  • BOVESPA

    113.583,01
    +300,34 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.598,53
    +492,82 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,49
    +1,04 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.742,80
    -9,20 (-0,53%)
     
  • BTC-USD

    42.084,43
    -1.962,27 (-4,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.045,39
    -56,13 (-5,10%)
     
  • S&P500

    4.443,11
    -12,37 (-0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.869,37
    +71,37 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.063,40
    +11,92 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    24.560,44
    +351,66 (+1,45%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    15.094,25
    -100,50 (-0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2844
    -0,0224 (-0,36%)
     

É mais fácil desenvolver trombose pós-COVID do que pós-vacina, diz estudo

·1 minuto de leitura

As chances de desenvolver coágulos sanguíneos após a infecção de COVID-19 são muito maiores, se comparadas com as chances de coágulos após as vacinas da AstraZeneca e da Pfizer, de acordo com um estudo da Universidade de Oxford.

A análise usou dados de mais de 29 milhões de pessoas na Inglaterra para comparar as duas vacinas com a infecção do coronavírus. Basicamente, o grupo avaliou as taxas de internação hospitalar ou morte por coágulos sanguíneos, bem como outras doenças do sangue, dentro de 28 dias após um teste positivo ou de receber a primeira dose do imunizante.

(Imagem: iLexx/Envato Elements)
(Imagem: iLexx/Envato Elements)

Os autores encontraram um risco aumentado de coágulos sanguíneos nas veias e nas artérias após uma primeira dose da vacina Oxford/AstraZeneca. Após a primeira dose da vacina Pfizer/BioNTech, eles encontraram risco maior de coágulos sanguíneos nas artérias e, consequentemente, de acidente vascular cerebral isquêmico.

No entanto, os dados mostraram que haveria 934 casos de coágulos para cada 10 milhões de pessoas após a infecção, em comparação com 107 após a primeira dose da AstraZeneca. Para derrames, a estimativa é de 1.699 casos para cada 10 milhões de pessoas após a infecção, enquanto haveria apenas 143 casos após a primeira dose da Pfizer. Os riscos associados às vacinas também duraram relativamente pouco, advertiram os pesquisadores.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos