Mercado abrirá em 9 h 10 min

É #FAKE que cabos eleitorais de candidato em Manaus foram presos comprando votos

Marcelo Parreira, TV Globo
·2 minuto de leitura

Uma mensagem que tem circulado desde sábado (28) nas redes sociais diz que cabos eleitorais de David Almeida (Avante) foram presos com dinheiro vivo comprando votos em Manaus (AM). É #FAKE.

A Polícia Civil do Amazonas não registra ocorrência neste sentido, e a imagem utilizada na postagem foi alterada a partir de registros de um outro caso, no Ceará.

A postagem atribui a informação a uma suposta nota divulgada pela Polícia Civil do Amazonas. "Polícia Civil PC - AM acaba de realizar a prisão em flagrante de cabos eleitorais do candidato David Almeida com uma quantia de 46 mil reais fazendo compra de votos no bairro Jorge Teixeira. Os envolvidos foram encaminhando-se à delegacia para ser lavrado o flagrante e responder processo criminal na justiça por crime eleitoral", diz o texto.

A Polícia Civil amazonense, no entanto, desmentiu qualquer registro neste sentido em uma publicação na sua página oficial do Facebook. "A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) informa que não emitiu qualquer nota oficial confirmando prisão de suposto ou supostos cabos eleitorais de um candidato à prefeitura de Manaus. A informação de prisão não é verdadeira", diz o post do órgão de segurança.

A foto que acompanha a mensagem falsa também foi adulterada. Os registros são originalmente de um caso ocorrido no sábado, em Caucaia (CE), região metropolitana de Fortaleza, por suspeita de crime eleitoral. No episódio, a Polícia Federal prendeu um irmão do prefeito e candidato à reeleição na cidade, Naumi Amorim (PSD), além de secretários municipais. Com o grupo, foram encontrados R$ 600 mil. Nas imagens da operação, é possível ver que os presos usam adesivos com o número de Naumi, mas as imagens foram modificadas para o número do candidato do Avante.
David Almeida disputa o segundo turno em Manaus contra o ex-governador do estado, Amazonino Mendes (Podemos).

Esta mensagem também foi verificada pela Lupa e pelo Aos Fatos.