Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,27
    +2,15 (+2,62%)
     
  • OURO

    1.817,30
    -4,10 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    42.921,50
    -551,42 (-1,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.037,76
    +12,03 (+1,17%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.383,32
    -46,48 (-0,19%)
     
  • NIKKEI

    28.124,28
    -364,82 (-1,28%)
     
  • NASDAQ

    15.616,75
    +126,50 (+0,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3174
    -0,0154 (-0,24%)
     

Águas do Brasil vence leilão de saneamento do Rio por R$ 2,2 bilhões

·3 min de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Com um lance de R$ 2,2 bilhões, o Grupo Águas do Brasil venceu nesta quarta-feira (29) leilão pelo último bloco de concessões de saneamento no Rio de Janeiro. O valor pago representou um ágio de 90% em relação à oferta mínima prevista em edital, de R$ 1,16 bilhão.

Com o leilão, o governo do Rio conclui o processo de concessão dos serviços de água e esgoto no estado, que já teve outros três blocos licitados em abril. Ao todo, as empresas vencedoras se comprometeram a pagar R$ 24,9 bilhões em outorgas.

Chamado de bloco 3, o bloco licitado nesta quarta chegou a ser oferecido no leilão de abril, mas não teve interessados. Envolve o atendimento a 2,7 milhões de pessoas na zona oeste da capital e outros 20 municípios do estado e prevê investimentos de R$ 4,7 bilhões nos 35 anos de concessão.

O Grupo Águas do Brasil disputou a concorrência com a Aegea Saneamento, que chegou a apresentado proposta pelo bloco no primeiro leilão mas decidiu retirá-la depois de ganhar outros dois blocos, incluindo o maior deles, o bloco 4, que tem uma população de sete milhões de pessoas e investimentos previstos em R$ 16 bilhões.

Para especialistas, o pouco interesse no primeiro leilão indicava dúvidas sobre as operações em uma área que hoje já possui uma PPP (parceria público-privada) para a prestação do serviço. A zona oeste do Rio é ainda uma área com forte presença de milícias.

Para esta segunda tentativa, o governo do Rio conseguiu incluir mais 14 municípios no pacote oferecido ao mercado. A vencedora do leilão desta quarta é a operadora da PPP, em parceria com a BRK Ambiental.

Maior vencedora do primeiro leilão, a Aegea pagou R$ 15,4 bilhões pelo direito de prestar o serviço a quase 10 milhões de pessoas da capital e do interior. A outra vencedora foi a Iguá Saneamento, que pagou R$ 7,3 bilhões por uma área de 1,2 milhão de habitantes.

A transferência à iniciativa privada de áreas que eram atendidas pela Cedae (Companhia Estadual de Água e Esgoto) foi o maior processo de concessões de saneamento do país, envolvendo o atendimento de 13,7 milhões de pessoas e investimentos de R$ 32 bilhões.

O primeiro leilão da Cedae contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro (PL), que encerrou o evento com a tradicional batida de martelo ao lado dos ministros Paulo Guedes (Economia), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e do filho senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

"Esse é um momento que marca a nossa história, a nossa economia. Um governo voltado para a liberdade de mercado, na confiança dos investidores e na crença de que o Brasil pode ser diferente", disse o presidente.

O dinheiro arrecadado na primeira oferta levou o governador Cláudio Castro (PL) a lançar um pacote de investimentos de R$ 17 bilhões, que compreende desde projetos de infraestrutura, como a recuperação de estradas e um metrô de superfície, até a construção de escolas e hospitais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos