Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -658,25 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,07 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,80 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    13.024,00
    +6,47 (+0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,29 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +5,75 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6630
    +0,0529 (+0,80%)
     

África precisa de financiamento para lutar contra a pandemia, diz FMI

·1 minuto de leitura
Homem usando máscara de proteção tem a temperatura verificada na entrada da mesquita de Nizamiye, em Midrand, Joanesburgo, em 5 de junho de 2020
Homem usando máscara de proteção tem a temperatura verificada na entrada da mesquita de Nizamiye, em Midrand, Joanesburgo, em 5 de junho de 2020

Os países africanos precisam de 1,2 trilhão de dólares em financiamento até 2023 para superar a crise causada pela pandemia de covid-19, informou a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta sexta-feira (9), observando que o déficit atual está próximo de US$ 345 bilhões. 

A região enfrenta falta de financiamento, já que os empréstimos bilaterais de agentes oficiais e instituições internacionais cobrem menos de um quarto das necessidades previstas, enquanto o capital privado permanece limitado, explicou Kristalina Goergieva, em discurso durante um evento virtual sobre o continente africano. 

Em abril, o FMI estimou o déficit de financiamento em 44 bilhões de dólares apenas para 2020. 

É imperativo que todos os países e instituições se mobilizem mais para ajudar a África a enfrentar a crise, acrescentou a chefe da instituição com sede em Washington. 

Segundo ela, a pandemia não vai parar se não for contida em regiões como a África. 

O continente registra mais de um milhão de casos de covid-19 e 23.000 mortes pela doença, apontou o FMI.

Dt/bh/yo/lda/cc/mvv