Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    59.345,34
    +844,84 (+1,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Vendedor a descoberto Hindenburg aposta contra Ebang e ações caem

Chavi Mehta e Akanksha Rana
·1 minuto de leitura

Por Chavi Mehta e Akanksha Rana

(Reuters) - O vendedor a descoberto Hindenburg Research reportou na terça-feira sobre seus negócios com a chinesa Ebang, fazendo com que as ações da fabricante de hardware para a mineração de bitcoin caíssem mais de 12%.

"A Ebang afirma ser um 'produtor líder de máquina de mineração de bitcoin', mas nossa pesquisa indica que essa afirmação extraordinária não é apoiada por nenhuma evidência", afirma o Hindenburg.

"A Ebang lançou sua mineradora final em maio de 2019 e desde então viu suas vendas caírem para quase zero, entregando apenas 6 mil mineradoras no total no primeiro semestre de 2020."

Os vendedores a descoberto tomam ações emprestadas e as vendem no mercado, na esperança de recomprá-las a um preço mais barato e embolsar a diferença.

Em comunicado nesta quarta-feira, a Ebang disse que o relatório da Hindenburg contêm muitos erros, especulações sem fundamento e interpretações incorretas. A chinesa ainda afirmou que pretende revisar e examinar as alegações e tomar as medidas necessárias para proteger os interesses de seus acionistas.

A recente moda do bitcoin provocou um aumento na captação de fundos para investir em empresas que buscam expandir suas operações de criptomoeda ou entrar neste setor.

O Ebang estreou na Nasdaq em junho passado e só em fevereiro teve duas rodadas de captação de fundos, recebendo 170 milhões de dólares.

O Hindenburg, que vendeu a descoberto ações de outra empresa chinesa de blockchain em fevereiro, disse que sua pesquisa revelou que, em vez de usar recursos de capital para desenvolver seus negócios, a Ebang direcionou grande parte do dinheiro para fora da empresa por meio de "uma série de acordos com insiders e contrapartes questionáveis."