Mercado fechará em 1 h 44 min
  • BOVESPA

    119.402,46
    -161,98 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.878,19
    +478,39 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,77
    -0,86 (-1,31%)
     
  • OURO

    1.815,40
    +31,10 (+1,74%)
     
  • BTC-USD

    56.919,14
    -509,09 (-0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.482,52
    +11,11 (+0,75%)
     
  • S&P500

    4.174,13
    +6,54 (+0,16%)
     
  • DOW JONES

    34.362,95
    +132,61 (+0,39%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.502,00
    +11,00 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3743
    -0,0526 (-0,82%)
     

Twitter compra Scroll, plataforma de assinatura que remove anúncios de sites

Rafael Arbulu
·3 minuto de leitura
Twitter compra Scroll, plataforma de assinatura que remove anúncios de sites
Twitter compra Scroll, plataforma de assinatura que remove anúncios de sites

O Twitter confirmou a compra da Scroll, uma plataforma de assinatura que remove anúncios de sites mediante o pagamento de US$ 5 (R$ 27,15 na conversão direta). A notícia foi confirmada pela própria Scroll, por meio de seu perfil… no Twitter.

Segundo as informações divulgadas, a Scroll será incorporada a uma série de recursos premium que o Twitter está planejando lançar em um futuro próximo. Foi com esse mesmo objetivo que a rede social comprou, em janeiro deste ano, o sistema de newsletters conhecido como Revue e criou a nova ferramenta Twitter Business. Vale lembrar que nessa semana, a rede social abriu para usuários com 600 seguidores ou mais o uso irrestrito do Spaces.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Agora que o Twitter finalizou a compra da Scroll, o serviço está temporariamente impedido de aceitar novos assinantes, muito provavelmente porque o processo de integração à rede social deve ter começado. Entretanto, nem tudo da Scroll virá nessa leva: a plataforma também tinha um serviço intitulado “Nuzzel”, uma espécie de newsletter de posts nas redes sociais, enviada a assinantes via e-mail. Segundo o Twitter, ele será absorvido pela rede social, e assim, deve deixar de funcionar separadamente.

Segundo o Olhar Digital, a Scroll usava um truque bastante interessante para barrar anúncios: ao invés de ser apenas mais um “adblock” em um mercado já saturado deles, a empresa empregava uma tecnologia que manipulava cookies de terceiros, a grosso modo “ensinando-os” a não entregar publicidades digitais aos seus assinantes. Empresas que dependem de publicidade para gerar renda, porém, não se importavam com isso, considerando que parte do valor de assinatura da Scroll era repassada a elas.

Twitter compra Scroll, plataforma que remove anúncios de sites. Na imagem: um gif mostrando como uma página da web fica com e sem o Scroll acionado
Twitter compra Scroll, plataforma que remove anúncios de sites. Na imagem: um gif mostrando como uma página da web fica com e sem o Scroll acionado

Com a aquisição do Scroll, que remove anúncios de sites, Twitter se prepara para lançar recursos pagos em sua plataforma (Imagem: Scroll/Divulgação)

De acordo com Mike Park, vice-presidente de produtos do Twitter, a Scroll (e outros serviços) será integrada a uma plataforma nova de assinatura, que pagará determinados valores aos autores das newsletters disparadas pelo Revue.

“Para tanto, nós planejamos incluir o Scroll como parte de uma oferta de assinatura que estamos explorando”, disse Park. “Como um assinante do Twitter, pense nisso como um acesso a funções premium, onde você poderá facilmente ler artigos de seus canais jornalísticos favoritos ou então uma newsletter de algum autor do Revue, com uma parte de sua assinatura sendo direcionada aos publishers e autores que criam tais conteúdos”.

No que tange a essa nova plataforma de assinatura, porém, poucos são os detalhes confirmados: especulações falam em funções menores, como um botão para desfazer o envio de algum tuíte – ou mesmo editá-los, o que certamente renderia muitas queixas à empresa já que muitos usuários hoje gratuitos pedem por algo nessas linhas desde a fundação da empresa, em 2007. Entretanto, executivos do Twitter já ressaltaram que a ideia tem, por enquanto, um caráter apenas exploratório e que nada disso deve vir à luz antes do fim de 2021.

Via Scroll Blog