Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.707,76
    +195,38 (+0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.734,04
    -67,64 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,86
    -0,25 (-0,28%)
     
  • OURO

    1.781,40
    +4,70 (+0,26%)
     
  • BTC-USD

    23.443,88
    -566,64 (-2,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,43
    -15,39 (-2,69%)
     
  • S&P500

    4.274,04
    -31,16 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    33.980,32
    -171,69 (-0,50%)
     
  • FTSE

    7.515,75
    -20,31 (-0,27%)
     
  • HANG SENG

    19.922,45
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.921,51
    -301,26 (-1,03%)
     
  • NASDAQ

    13.475,00
    -18,25 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2651
    +0,0059 (+0,11%)
     

Tesla fecha as portas de unidade na Califórnia e demite 200 funcionários

O mundo vive uma recessão pós-pandemia que vem afetando todos os setores, mesmo aqueles que até o ano passado pareciam não sentir os efeitos da crise. A alta da inflação e o juros astronômicos impostos pelos bancos centrais de diversos países causam um efeito cascata na economia global. E o setor da tecnologia apresenta os resultados disso desde abril, quando começaram as demissões em massa em vários grupos. Desta vez, a Tesla demitiu 200 funcionários no fechamento de uma unidade em San Mateo, na Califórnia.

Segundo a Bloomberg e a CNBC, a unidade de San Mateo tinha 200 colaboradores que eram encarregados de analisar e classificar vídeos de carros da empresa, com o objetivo de melhorar os sistema de assistência ao motorista no piloto automático dos veículos elétricos da Tesla. O envolve a identificação e descrição de objetos em clipes curtos, capturados por câmeras e sensores. Isso serve para que a plataforma inteligente da companhia possa oferecer uma visão computacional mais precisa.

Os funcionários de San Mateo já haviam sido informados que seriam transferidos para uma unidade de Palo Alto; e outra parte iria para a de Buffalo, em Nova York. Contudo, os 200 que estavam em San Mateo acabaram sendo demitidos, com a justificativa de cortes para economia de custos de produção.

O Model S da Tesla (Imagem: Reprodução/Tesla)
O Model S da Tesla (Imagem: Reprodução/Tesla)

"A Tesla está claramente em um grande modo de corte de custos", afirmou Raj Rajkumar, professor de engenharia elétrica e de computação da Carnegie Mellon University, em entrevista à Reuters. "Isso indica que o segundo trimestre de 2022 tem sido bastante difícil para a empresa, devido à paralisação em Xangai, custos de matérias-primas e problemas na cadeia de suprimentos”, analisou.

Por enquanto, a Tesla não comentou a respeito do fechamento da unidade de San Mateo. Contudo, o CEO da Tesla, Elon Musk, disse em entrevista publicada na semana passada que as novas fábricas da Tesla no Texas e em Berlim estavam perdendo “bilhões de dólares”, em parte devido a interrupções na cadeia de suprimentos — desde o começo do ano passado há uma crise no fornecimento de chips, por exemplo.

Ou seja, caso o cenário econômico mundial e a distribuição de matéria-prima não seja resolvida a contento em breve, pode ser que a Tesla tenha que desligar mais funcionários nos próximos meses — algo que amedronta os funcionários as empresas de tecnologia do mundo todo atualmente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos