Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.707,76
    +195,38 (+0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.734,04
    -67,64 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,52
    -0,59 (-0,67%)
     
  • OURO

    1.780,10
    +3,40 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    23.442,95
    -547,88 (-2,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,34
    -15,48 (-2,70%)
     
  • S&P500

    4.274,04
    -31,16 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    33.980,32
    -171,69 (-0,50%)
     
  • FTSE

    7.515,75
    -20,31 (-0,27%)
     
  • HANG SENG

    19.922,45
    +91,93 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.885,98
    -336,79 (-1,15%)
     
  • NASDAQ

    13.455,50
    -37,75 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2651
    +0,0059 (+0,11%)
     

Rússia vai abandonar a ISS em protesto contra sanções

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Rússia anunciou que deixará o programa da Estação Espacial Internacional (ISS) devido às inúmeras sanções impostas contra o país pelo ocidente desde o início da invasão à Ucrânia, em fevereiro. A notícia foi dada por Dmitry Rogozin, diretor da agência espacial russa (Roscomos), em entrevista no último sábado (30).

Conforme relatado pelos portais russos TASS e RIA Novosti, Rogozin disse que a decisão já foi tomada, mas que a Roscosmos não é obrigada a falar publicamente sobre ela. Em vez de uma data específica, o executivo apenas afirmou que “informaremos nossos parceiros sobre o fim de nosso trabalho na ISS com um ano de antecedência”.

O diretor da agência espacial russa não disse quando o país deixará a ISS, apenas que avisará com um ano de antecedência (Imagem: Reprodução/NASA)
O diretor da agência espacial russa não disse quando o país deixará a ISS, apenas que avisará com um ano de antecedência (Imagem: Reprodução/NASA)

A decisão não pega ninguém de surpresa: no início de abril Rogozin já havia ameaçado abandonar a ISS caso os EUA, a União Europeia e o Canadá não suspendessem as sanções impostas contra a Rússia. Obviamente, com a continuidade das operações militares russas na Ucrânia, as sanções seguem de pé.

Até agora a ISS era um lugar de plena cooperação entre Rússia, EUA e nações europeias, apesar da tensão desde o início da invasão à Ucrânia. No entanto, o isolamento internacional sem precedentes da nação russa parece marcar o fim da exploração espacial conjunta.

Na quarta-feira (27) passada, a missão Crew-4 com três astronautas norte-americanos e um italiano, chegou à ISS para se juntar a outros três norte-americanos, três cosmonautas russos e um astronauta alemão que já estavam por lá. Eles viajaram a bordo de uma cápsula Crew Dragon lançada por um foguete Falcon 9, veículos que acabaram com mais de uma década de dependência dos EUA em foguetes russos para a troca de tripulação. A NASA tem planos de operar a ISS até 2030.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos