Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.005,22
    +758,07 (+0,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.289,91
    +895,88 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,65
    -0,56 (-0,50%)
     
  • OURO

    1.840,50
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    30.159,83
    +859,39 (+2,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    669,81
    +17,58 (+2,69%)
     
  • S&P500

    3.900,79
    -22,89 (-0,58%)
     
  • DOW JONES

    31.253,13
    -236,94 (-0,75%)
     
  • FTSE

    7.302,74
    -135,35 (-1,82%)
     
  • HANG SENG

    20.120,68
    -523,60 (-2,54%)
     
  • NIKKEI

    26.402,84
    -508,36 (-1,89%)
     
  • NASDAQ

    11.917,75
    +39,50 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2188
    +0,0005 (+0,01%)
     

Netflix sugere demissão a funcionários que ficarem ofendidos com conteúdo

Memorando da Netflix diz a funcionários para se demitirem caso se sintam ofendidos com conteúdo produzido. Foto: REUTERS/Dado Ruvic/Illustration.
Memorando da Netflix diz a funcionários para se demitirem caso se sintam ofendidos com conteúdo produzido. Foto: REUTERS/Dado Ruvic/Illustration.
  • A gigante do streaming Netflix pede aos funcionários para que ‘deixem a empresa’ se ficarem ofendidos com o conteúdo que a companhia produz;

  • A instrução pode ser encontrada no memorando ‘Cultura Netflix – Buscando Excelência';

  • A companhia afirma que alguns programas podem ser problemáticos para alguns espectadores, mas que a escolha é não silenciar artistas.

A gigante do streaming Netflix pede em seu novo memorando para que funcionários ‘deixem a empresa’ se ficarem ofendidos com o conteúdo que a companhia produz.

A instrução pode ser achada no recente memorando ‘Netflix Culture – Seeking Excellence’ (Cultura Netflix – Buscando Excelência, em tradução).

“Como funcionários, apoiamos o princípio de que a Netflix oferece uma diversidade de histórias, mesmo que encontremos alguns títulos contrários aos nossos próprios valores pessoais”, diz o texto.

"Dependendo da sua função, você pode precisar trabalhar em títulos que considera nocivos", continua o memorando, que aconselha ao funcionário: "Se você acha difícil oferecer suporte à nossa amplitude de conteúdo, a Netflix pode não ser o melhor lugar para você."

Leia também:

O documento vem logo após funcionários da empresa realizarem uma paralisação depois que o especial de Dave Chappelle, que fez piadas sobre a comunidade transgênero, continuou a ser exibido na plataforma.

No texto, a companhia afirma que alguns programas podem ser problemáticos para alguns espectadores, mas que a escolha é não silenciar artistas.

"Embora cada título seja diferente, nós os abordamos com base no mesmo conjunto de princípios: apoiamos a expressão artística dos criadores com quem escolhemos trabalhar; programamos para uma diversidade de públicos e gostos; e deixamos os espectadores decidirem o que é apropriado para eles, em vez de ter a Netflix censurando artistas ou vozes específicas", continou.

O memorando também vem após a companhia sofrer a primeira perda de assinantes em mais de uma década, com 200 mil clientes deixando o serviço entre janeiro e março.

*Com informações da Fox Business.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos