Mercado fechará em 4 h 38 min
  • BOVESPA

    109.085,12
    -16,88 (-0,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.508,35
    -314,88 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,92
    -0,63 (-0,74%)
     
  • OURO

    1.842,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    38.353,59
    -4.092,68 (-9,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    901,52
    -93,74 (-9,42%)
     
  • S&P500

    4.482,73
    -50,03 (-1,10%)
     
  • DOW JONES

    34.715,39
    -313,26 (-0,89%)
     
  • FTSE

    7.475,49
    -109,52 (-1,44%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.676,75
    -164,25 (-1,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1757
    +0,0456 (+0,74%)
     

A natureza agradece: solução de startup transforma milho em bioplástico

·1 min de leitura

O potencial do milho vai além das saborosas comidas juninas. A GreenB Biological Solutions, startup de Criciúma (SC), está desenvolvendo uma máquina que retira a zeína, proteína do milho, para criar bioplástico. O material será útil para criar objetos como copos ou hastes de cotonetes descartáveis que não viram lixo que agride o ambiente.

Por ser uma proteína, a zeína é biodegradável e compostável, podendo ser até comida. Além de gerar matéria-prima pro bioplástico, poderá ser usada como filme para revestir alimentos e evitar a contaminação por bactérias, aumentando a validade dos produtos nos supermercados.

Para chegar ao invento, a empresa usa um novo método desenvolvido pelo IQSC-USP (Instituto de Química de São Carlos, da Universidade de São Paulo). “Além de ser mais eficiente, nossa técnica é mais barata, simples e rápida que a utilizada atualmente para extrair zeína dos resíduos dos grãos de milho”, informou o professor do IQSC-USP Sérgio Yoshioka, à frente da pesquisa.

Imagem: Divulgação/GreenB
Imagem: Divulgação/GreenB

“Depois desta fase, a zeína poderá ser produzida em escala, podendo ser usada em inúmeras aplicações”, diz Roseli Jenoveva Neto, cofundadora e gestora de pesquisa e desenvolvimento da GreenB.

Para a montagem da fábrica piloto, a GreenB está recebendo recursos do Programa Centelha, uma parceria entre a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), o MCTI (Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação), e a Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina). Na primeira edição do programa foi investido R$ 1,7 milhão em 28 projetos. Neste ano, o investimento será de R$ 3,3 milhões.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos