Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.448,61
    -3,59 (-0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Mark Zuckerberg prevê metaverso com mais de um milhão de usuários até 2030

Criador do Facebook reconheceu que é preciso haver uma demanda no metaverso antes de pensar em monetização (Getty Creative)
Criador do Facebook reconheceu que é preciso haver uma demanda no metaverso antes de pensar em monetização (Getty Creative)
  • Zuckerberg estima que a receita da Meta deverá vir de conteúdos digitais do metaverso

  • Apresentador da CNBC rebateu o executivo, dizendo que a expectativa era exagerada

  • Recursos do metaverso ainda não conquistaram completamente

O CEO da Meta, Mark Zuckerberg, declarou em entrevista ao programa Mad Money, da emissora CNBC, que o metaverso alcançará um milhão de usuários até 2030 e que a receita de sua empresa deverá vir principalmente da compra de conteúdos digitais no universo.

O apresentador da emissora, Jim Cramer, rebateu Zuckerberg, dizendo que a expectativa era exagerada e que nem todos os usuários possuem um hardware de realidade virtual próprio.

Em resposta a Cramer, Zuckerberg ressaltou que “para realmente entregar essas experiências nos próximos anos, é preciso desenvolver, mas é preciso construir um pacote completo, desde o hardware até o software e depois um monte de experiências em cima disso”. Em partes, o criador do Facebook reconheceu que é preciso haver uma demanda na plataforma antes de pensar em monetização.

Trabalhando pelo metaverso

Trabalhar de casa se sentindo em um escritório? Essa é uma das promessas dos recursos que estão sendo desenvolvidos para o metaverso. Apesar da possibilidade agradar a alguns empresários e a entusiastas da tecnologia, na prática, os recursos podem não ser tão legais.

Zuckerberg é um dos maiores entusiastas da modalidade. O criador do Facebook até fez uma postagem na rede social defendendo o trabalho remoto com o uso dessas plataformas digitais. No entanto, um estudo realizado por três universidades europeias mostrou que isso pode ser bem mais desconfortável do que parece. A pesquisa foi realizada utilizando um dos óculos da Meta que gera realidade virtual no ambiente de trabalho.

Ao longo de cinco dias, 16 pessoas realizaram turnos de oito horas utilizando o recurso o modelo comum do Oculus Quest 2 HMD e teclado físico Logitech K830 com touchpad integrado para o serviço. Com a experiência, metade dos participantes disse que sentiu cansaço virtual. Um terço das pessoas disseram que é significativamente pior enfrentar as tarefas com o uso da VR. Mais de 40% ficaram frustrados e 19% admitiram ansiedade.