Mercado fechará em 1 h 46 min
  • BOVESPA

    108.466,11
    +89,76 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.480,27
    +474,16 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,80
    +3,30 (+4,20%)
     
  • OURO

    1.668,50
    +32,30 (+1,97%)
     
  • BTC-USD

    19.358,82
    +361,70 (+1,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    441,53
    +12,75 (+2,97%)
     
  • S&P500

    3.703,74
    +56,45 (+1,55%)
     
  • DOW JONES

    29.591,78
    +456,79 (+1,57%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.483,50
    +149,75 (+1,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1878
    +0,0279 (+0,54%)
     

Lua terá wi-fi próprio em menos de 2 anos; entenda

·2 min de leitura
Empresa quer conectar o planeta Terra à Lua com internet através de satélites
Empresa quer conectar o planeta Terra à Lua com internet através de satélites
  • Empresa que levar uma conexão de 100 Mbps para a superfície do astro;

  • Ideia é permitir uma conexão de alta velocidade entre a Terra e a Lua;

  • Atualmente somente agências espaciais governamentais conseguem realizar esse serviço.

A Aquarian Space, startup de tecnologia americana que prometeu levar internet wi-fi via satélite para a Lua, anunciou nestes últimos dias que seu projeto deve se concluir em menos de dois anos. O adiantamento do término foi possível graças a um investimento de US$ 650 mil da Draper Associates, empresa de investimentos de riscos que ficou conhecida após ser uma das primeiras a investir na Tesla.

Chamado de Solnet, a infraestrutura de satélites, similar aos utilizados por Elon Musk em sua empresa de internet, a Starlink, tem como objetivos levar conexões de até 100 Mbps para a superfície da Lua. Atualmente a única forma de estabelecer conexões com o satélite é através de um sistema chamado de “EME” (“Earth-Moon-Earth” ou “Terra-Lua-Terra”), que utiliza receptores de ondas de rádio.

Esse modelo, devido a seu alto custo de implementação, só pode ser utilizado pelas agências espaciais governamentais, como a NASA e a ESA, a agência espacial europeia. O objetivo da Aquarian Space é, então, criar uma nova infraestrutura de comunicação com a Lua para permitir uma maior exploração do astro.

“Em 2021, havia 13 sondas, orbitadores e rovers dentro e ao redor da Lua. Até 2030, teremos cerca de 200, criando uma economia lunar multibilionária. Mas isso não pode acontecer sem comunicações sólidas e confiáveis ​​da Terra para a Lua”, disse Kelly Larson, CEO da Aquarian Space, em comunicado oficial.

A empresa estima que seu primeiro módulo de satélite seja lançado em 2024, com o segundo saindo no ano seguinte para cobrir o Pólo Sul da Lua. De acordo com os executivos, as outras empresas não precisarão realizar nenhum tipo de adaptação em suas naves espaciais para se tornarem compatíveis com a tecnologia da Aquarian.